Bruno Garschagen: Férias de 60 dias para políticos e servidores é escandaloso

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2019 08h19
Estadão ConteúdoEm nota divulgada nesta segunda-feira (4), o PGR questionou a PEC que prevê a redução das férias de integrantes do MP de 60 para 30 dias

Augusto Aras ataca redução de férias dos procuradores e promotores, e lança desafio aos Poderes. Em nota divulgada nesta segunda-feira (4), o PGR questionou a PEC que prevê a redução das férias de integrantes do Ministério Público de 60 para 30 dias.

A iniciativa pode integrar o pacote da reforma administrativa que vai ser apresentada pelo Governo Federal ao Congresso. Para Aras, se o parlamento levar a ideia a diante, seria o caso de se discutir também a mesma medida para membros do Legislativo e do Executivo.

“É o que tem que ser feito mesmo. Já e escandaloso que, em 2019, a gente discuta reduzir férias de 60 para 30 dias. É mais escandaloso que haja férias de 60 dias para membros do Ministério Público, Judiciário e políticos em geral. Isso não faz sentido algum. É preciso reduzir para que haja, de fato, um alinhamento com o que os trabalhadores da iniciativa privada tem.”

“Os membros do MP, políticos eleitos, magistrados, e todos os servidores públicos tem que ter férias equivalentes aos trabalhadores da iniciativa privada. É escandaloso que o PGR seja contra isso. Se a ideia dele de reduzir todo mundo para 30 dias vingar, é uma excelente notícia.”