Denise: Corte de cargos comissionados fez pouca diferença nas contas públicas

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2019 11h10
Dida Sampaio/Estadão Conteúdo BolsonaroTudo isso tem que ser revisto até para que os estados e o Governo possam se enquadrar nos parâmetros legais em relação a metas, diz Denise

Essa questão da estabilidade também é muito séria. A gente vê que tanto o Governo Federal e os governos estaduais não conseguem ter muita margem de manobra em relação aos gastos com a folha exatamente por essas restrições que são colocadas pela legislação.

Eles não podem sequer desfazer de uma forma mais eficaz equívocos cometidos pelos antecessores. Eles tendem seguir com aquele comprometimento de Receita, sem poder se ajustar inclusive a uma situação de crise, como vários estados enfrentam hoje. Tem muito a limitação a você poder dispensar mão de obra.

O Governo Federal cortou os cargos comissionados e a gente vê que isso fez muita pouca diferença em questão da evolução das contas públicas.

Então, tudo isso tem que ser revisto até para que os estados e o Governo Federal possam se enquadrar nos parâmetros legais em relação a metas, em relação a teto de gastos, em relação a própria lei de responsabilidade fiscal.