Além dos vinhos brancos, Alemanha produz ótimos tintos; confira sugestões

País está entre as regiões vitivinícolas mais ao norte do mundo, tendo apenas a influência moderada de correntes marítimas

  • Por Esper Chacur Filho
  • 14/05/2021 09h00 - Atualizado em 14/05/2021 15h29
photo-nic.co.uk nic/UnsplashVinhos tintos alemães são um pouco relegados a segundo plano por conta da majestosidade dos seus brancos

Todos nós conhecemos os ótimos vinhos brancos alemães, especialmente os da casta Riesling. Entretanto, na Alemanha se produz ótimos tintos, que são um pouco relegados a segundo plano por conta da majestosidade dos seus brancos. Sempre é bom lembrar que a Alemanha está entre os países vitivinícolas mais ao norte do mundo, tendo apenas a influência moderada de correntes marítimas no clima da Europa Ocidental para permitir que as uvas amadureçam na região. Mesmo assim, o clima e as condições do tempo nas regiões vitivinícolas do país representam desafios para a viticultura, que são desconhecidos nas ensolaradas regiões do Mediterrâneo, por exemplo. As condições mais favoráveis de produção de vinhos se localizam nas encostas orientadas para sul e sudoeste, principalmente ao longo dos vales dos rios Rhein, Elbe, Saale e Unstrut (cf, Academia do Vinho).

O vinho alemão moderno vem da parte sul daquele país, mais precisamente das regiões de Baden e Württemberg, nas quais há mais sol e calor durante o dia e o necessário friozinho à noite. A maioria dos vinhos tintos alemães vem destas áreas, destacando-se as castas Spätburgunder (que é a Pinot Noir) e a Portugieser, cada qual com a sua característica, somada ao terroir. Considerando a ressalva de que não é possível encontrar as características da Pinot Noir da Borgonha em vinhos desta uva de outras regiões, eu recomendo que provem o Pinot Noir germânico. Vou sugerir três vinhos alemães tintos: um mais simples, porém bem gostoso, que é o Dornfelder; o Dr. Bürklin-Wolf Pinot Noir – Trocken, bem estruturado e com um potencial gastronômico muito bom; e o Zähringer Edelgräfler Rotwein que tem uma estrutura de nobreza ímpar. São vinhos bem gastronômicos, que acompanham com louvor desde a culinária germânica até um bom churrasco. Os três são fáceis de encontrar no mercado nacional. Salut!