Minas Gerais desponta como um bom Estado produtor de vinho; confira sugestões

Região tem nos entregado bebidas alcoólicas, menos ácidas e mais encorpadas que lembram os produtos do Chile e da Argentina

  • Por Esper Chacur Filho
  • 23/07/2021 10h00
Arquivo pessoal/Esper Chacur FilhoSão bons vinhos que acompanham bem carnes vermelhas ou pratos substanciosos, isso sem esquecer os excelentes queijos mineiros curados

Quando falamos de vinho nacional, em primeiro lugar o que vem a mente é o Estado do Rio Grande do Sul, logo seguido de Santa Catarina. Os paulistas lembram dos vinhos de São Roque, Jundiaí e, mais recentemente, São Bento do Sapucaí. No Nordeste, tenta-se produzir algo com alguma qualidade, porém o clima excessivamente quente não tem nos entregado coisas muito boas do Vale do São Francisco. Entretanto, abrindo uma nova fronteira, temos nos deparado com os bons vinhos de Minas GeraisA produção de vinhos do Estado está concentrada na região Sul, mais especificamente nos municípios de Andradas e Caldas. Nestas localidades, predomina o cultivo das videiras americanas que, por serem mais rústicas, adaptaram-se bem às condições de clima da região. 

Minas tem nos entregado vinhos alcoólicos, menos ácidos e mais encorpados que lembram os produtos do Chile e da Argentina. São bons vinhos que acompanham bem carnes vermelhas ou pratos substanciosos, isso sem esquecer os excelentes queijos mineiros curados. Dos produtores mineiros, recomendo que provem os da Casa Geraldo, notadamente o Shiraz, que é bem curioso. Da Estrada Real vou sugerir o interessante Primeira Estrada, da Luis Porto, o Cabernet Sauvignon, que lembra um bom chileno, sem aquele eucalipto chato, e do Carrara Peixoto o Insólito. Minas não é só cachaça, e hoje começa a despontar como um bom Estado produtor de vinho. Salut!