Com projeto de ensino à distância, Cris Pacino ajuda brasileiros a destravarem o espanhol

Em um ano, já são mais de 160 alunos, cada um com uma história de transformação através da língua: ‘Meu maior sonho é que todo brasileiro seja bilíngue’, afirma

  • Por Fabi Saad
  • 02/06/2021 10h00
DivulgaçãoEm 2004, Cristina foi para Madrid e, em 2010, decidiu empreender como professora

Desde 2004 morando na Espanha, a professora de idiomas Cristina Pacino começou sua carreira como Relações Públicas, e trabalhou com marketing e comunicação durante 16 anos. Em 2019, decidiu criar um projeto de ensino de espanhol online para brasileiros, com o objetivo de ajudar os alunos a abandonarem o “portunhol”. Em um ano, já são mais de 160 pessoas, cada um com uma história de transformação através da língua. “Meu maior sonho é que todo brasileiro seja bilíngue, que consiga aprender e se desenvolver em espanhol”, afirma Cris. Segundo ela, os momentos mais difíceis da sua carreira foram quando voltou a estudar e começou de novo no ensino de idiomas, e a pandemia da Covid-19. “Mesmo que já tenha passado quase um ano, o setor de aulas online está em crescimento e amadurecimento. Porém, foi invadido por professores que não tinham maturidade nem experiência no mundo online e é uma nova configuração. Os alunos ficam perdidos com promessas milagrosas”, diz.

1. Como começou a sua carreira? Comecei minha carreira como Relações Públicas ainda durante a faculdade. No 3º ano comecei a fazer estágio, e desde lá segui a linda trajetória de marketing e comunicação por 16 anos, inclusive aqui na Espanha. Em 2004 vim para Madrid e, em 2010, decidi empreender como professora. Me formei pela Universidade de Cambridge como professora de inglês para adultos, depois fiz um mestrado em pedagogia para poder dar aulas na Espanha e desde 2019 estou com o projeto de ensino de espanhol online para brasileiros.

2. Como é formatado o modelo de negócios do Cris Pacino Espanhol? O Cris Pacino Espanhol é um projeto de ensino à distância que tem por objetivo ajudar brasileiras e brasileiros a destravarem o espanhol e abandonarem o “portunhol”. O projeto inclui um curso online de espanhol, tutoriais em grupo e seguimento durante dois anos, além de vídeo-aulas gratuitas no Youtube, Instagram e Facebook. O que faz o projeto existir é a transformação que traz para a vida das pessoas. Já são mais de 160 alunos em um ano e cada um deles tem uma história de transformação através do espanhol, seja vir morar na Espanha, ajudar no trabalho, fazer intercâmbio ou mesmo aprender por gosto.

3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira? Foram dois, justamente duas crises: primeiro a de 2008, quando decidi dar o passo de mudar de carreira, voltar a estudar e começar de novo no ensino de idiomas. A segunda continua agora, com a pandemia. Mesmo que já tenha passado quase um ano, o setor de aulas online está em crescimento e amadurecimento. Porém, foi invadido por professores que não tinham maturidade nem experiência no mundo online e é uma nova configuração. Os alunos ficam perdidos com promessas milagrosas.

4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora? No começo, passar de contratada a autônoma foi um pouco caótico, porque sendo autônoma achamos que vamos trabalhar com o laptop na praia. Descobrimos que sim, isso é possível e super factível, mas por outro lado muitas vezes nos surpreendemos trabalhando num domingo, ou mais de 10 horas muitos dias, o que não acontecia quando eu tinha carteira assinada. De uns tempos para cá, decidi organizar minha agenda e ser bem rígida comigo e separar um tempo para o trabalho, olhar no relógio e ver que já é hora de parar e fazer outras coisas. Foi aí que me organizei de tal maneira que decidi entrar em uma nova faculdade, depois de 24 anos formada. Em 2020, em plena pandemia, comecei a fazer Letras-Espanhol aqui em Madrid e estou adorando!

5. Qual seu maior sonho? Meu maior sonho é que todo brasileiro seja bilíngue, que consiga aprender e se desenvolver em espanhol. E, por que não, viver em espanhol, se quiser. Ou inglês. Ou no idioma que a pessoa escolher. Aprender idiomas abre portas, abre a nossa mente, é um presente para a alma.

6. Qual sua maior conquista? Minha maior conquista é levantar todos os dias com vontade de fazer a diferença na vida das pessoas que querem se desenvolver em espanhol.

7. Livro que admira. Para mim foi um marco a leitura do livro “Eat, Pray, Love” de Elizabeth Gilbert. Na época, ela era casada com um brasileiro, e é um livro escrito com muita sensibilidade, que fala de mudanças. Além disso, relata o encontro que a autora teve consigo mesma nas três viagens que conta na obra, e da importância de observar os fatos e a nossa vida, mesmo com uma certa distância de vez em quando. Super recomendo.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.