Desde cedo no mundo dos móveis, Sheila Bertolini conta trajetória até chegar na Evviva

Para a empreendedora, alguns dos momentos mais desafiadores de sua carreira foram uma crise econômica entre 2017 e 2019 e a pandemia: ‘Um dos meus maiores desejos é a evolução da vacinação’

  • Por Fabi Saad
  • 07/07/2021 10h00
Pedro Waldrich Sheila Bertolini é responsável pela área de relacionamentos da Evviva, uma empresa do Grupo Bertolini

Nossa Mulher Positiva desta semana é Sheila Bertolini, responsável pela área de relacionamentos da Evviva, uma empresa do Grupo Bertolini. Ela nos conta sobre sua trajetória profissional, que começou na Publicidade e Propaganda e seguiu para o setor de móveis, até chegar na especialidade de móveis personalizados de alto padrão, proposta inovadora da Evviva. “Acredito que a minha vocação ‘moveleira’ aflorou muito cedo, pois cresci no mundo dos móveis, da criação e dos projetos”, relata Sheila, que é filha de um dos fundadores da Bertolini. Para a empreendedora, alguns dos momentos mais desafiadores de sua carreira foram uma crise econômica entre 2017 e 2019 e a pandemia da Covid-19. Segundo ela, um dos seus maiores desejos é a evolução do plano de vacinação, que trará “mais segurança e serenidade”. “Com isto, [poderemos] retomar a nossa rotina, relacionamentos e planos – pois muitos foram adiados ou pausados”, afirma.

1. Como começou a sua carreira? Efetivamente, iniciei a minha carreira logo após a minha primeira graduação em Publicidade e Propaganda, realizada na PUCRS. Na época, morava em Porto Alegre para estudar e acabei realizando alguns estágios na capital gaúcha. Porém, acredito que a minha vocação “moveleira” aflorou muito cedo, pois cresci no mundo dos móveis, da criação e dos projetos. Lembro nitidamente do meu pai vibrando com lançamentos de produtos, participando de feiras do setor… Enfim, desde muito cedo estava inserida neste universo através da empresa Bertolini, fruto da visão empreendedora do meu pai e dos meus tios. Na época do vestibular, sabia que trabalharia com criação, mas tinha dúvidas entre publicidade ou arquitetura. Realizei duas provas/vestibulares, uma para cada curso, em duas universidades. Fui aprovada em publicidade e prossegui nesta graduação. Voltei para Bento Gonçalves, também no Rio Grande do Sul (minha cidade natal) e iniciei minha vida profissional voltada ao marketing – inicialmente em uma empresa de acessórios para móveis e posteriormente na Bertolini. Com o passar do tempo, vieram as especializações, experiências paralelas com o Sindmóveis e a Casa Brasil — por duas gestões fui convidada para trabalhar na diretoria de marketing da entidade e na feira de negócios — e, com isso, muito aprendizado e relacionamentos acumulados. No entanto, tenho certeza que muito ainda está por vir!

2. Como é formatado o modelo de negócios da Evviva? Hoje o meu envolvimento é totalmente com a Evviva, uma empresa do Grupo Bertolini, especializada em móveis personalizados de alto padrão. A Evviva nasceu com um propósito de diferenciação muito acentuado, e foi em 1994 que iniciamos uma linha de móveis planejados em MDF, a primeira empresa a trabalhar em escala industrial com esta matéria-prima no país. Além disto, nos aprimoramos em soluções e linhas inovadoras para o mercado de design e arquitetura, como o nosso sistema construtivo – no qual fomos premiados no Salão Design, o principal prêmio brasileiro de design de mobiliário, e a inédita e exclusiva INO, a primeira cozinha planejada com portas e tamponamentos de aço inox. Acreditamos e temos em nossa essência os valores da tradição passados pelos nossos fundadores e combinamos com o “saber fazer” e a inovação para proporcionarmos espaços onde a vida aconteça. O meu dia a dia e minha dedicação estão totalmente voltados ao relacionamento com profissionais de arquitetura, eventos do segmento e com as lojas da marca, presentes nas principais cidades do país.

3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira? Nesta minha trajetória, posso citar muitos momentos desafiadores, em diversos âmbitos. É impossível não citar, por exemplo, a questão de trabalhar na empresa da família, de ser filha de um dos fundadores. Acredito que a cobrança (interna e externa) é muito maior, existem as comparações, os julgamentos… Mas sabemos que faz parte de um processo. Além disto, cito um momento econômico muito difícil pelo qual passamos, entre 2017 e 2019, no qual tivemos que nos reestruturar, reinventar e rever os negócios do Grupo Bertolini como um todo. E agora, muito atual, cito este momento de pandemia. Manter a serenidade em momentos de tantas inseguranças é um desafio diário!

4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora? Eu vou ser bem sincera: adoraria ser mais metódica e organizada! Trabalhar este equilíbrio nem sempre foi muito fácil…Com muita disciplina, consegui organizar e determinar momentos – que considero como compromissos –, para estar e ficar bem comigo mesma e com as minhas obrigações, de maneira leve e prazerosa. É o alinhamento da saúde física e mental, conciliando os momentos de exercício para liberar a endorfina e eliminar as toxinas, com o tempo para leitura e pesquisas na internet, além do final de semana para os cuidados comigo mesma, sem deixar de lado o encontro e bate-papo com amigos para descontrair e relaxar.

5. Qual seu maior sonho? Atualmente um dos meus maiores desejos é a evolução do plano de vacinação, para então termos um pouco mais de segurança e serenidade. Com isto, retomar a nossa rotina, relacionamentos e planos – pois muitos foram adiados ou pausados! E acredito que, em breve, um projeto que ainda está em desenho se materialize em uma casa com o meu jeito e o meu estilo.

6. Qual sua maior conquista? Acredito que conquistas diárias, pequenas vitórias, desafios e aprendizados, quando assimilados e trabalhados da maneira correta, nos proporcionam um dos fatores primordiais para alcançarmos nossos objetivos, sonhos ou conquistas, que é a inteligência emocional. Trabalho diariamente para estar em harmonia comigo e com o meu entorno. Estar bem, fazer o bem e fazer bem feito é um desafio constante, mas também uma conquista para novos projetos e novos sonhos.

7. Livro, filme e mulher que admira. Difícil ficar em uma única opção, mas vamos lá. Citarei duas leituras distintas, mas que sempre estão em meus pensamentos: “Vai Lá e Faz”, livro marcante em um momento profissional bem importante da minha trajetória; e para momentos relax, “O tempo e o Vento”, um clássico que conheci quando era pequena e sou apaixonada por toda a narrativa! Falando em mulheres, sem dúvidas tenho uma admiração enorme por minha mãe Catarina – pelo lado afetivo, mas também por toda a sua dedicação e empreendedorismo. Ela é super ativa, conduz o seu negócio e está sempre inovando e me incentivou desde cedo com um olhar otimista e com muita independência. Além disso, Luiza Helena Trajano e Camila Coutinho são duas das muitas mulheres que admiro pela visão e empreendedorismo.