Josias de Souza: Pesou mais a tubaína do que o currículo na indicação ao STF

Em sua live semanal, Bolsonaro afirmou que já tomou muito refrigerante com Kassio Nunes

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2020 08h00 - Atualizado em 02/10/2020 09h31
Ramon Pereira/Ascom-TRF-1Após a nomeação, o desembargador piauiense terá que passar por sabatina e aprovação no Senado

Apesar de críticas, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que vai indicar Kassio Nunes Marques para o STF. Após a nomeação, o desembargador piauiense terá que passar por sabatina e aprovação no Senado. “Ao falar sobre Kassio Nunes Marques em sua live semanal, presidente disse que o escolhido para o Supremo já tomou muita tubaína com ele. Explicou que tinha uns dez currículos de candidatos para essa vaga, alguns excelentes — mas de pessoas que ele nunca tinha conversado. Presidente explicou: “Não vou botar uma pessoa só por causa do currículo. Tinha que ter um contato a mais comigo”, disse Josias.

Ficou entendido que a tubaína pesou mais que o currículo. É natural que o presidente da República selecione para o STF alguém que tenha sintonia com a sua visão de mundo, de país, de sociedade. O que torna essa escolha de Kassio polemica é a sensação de que Bolsonaro confunde afinidade com compromisso pessoal. Isso incomoda porque há, no Supremo, processos e inquéritos que roçam no presidente, na sua família, em parlamentares aliados. Não é a primeira vez que uma pessoa é indicada ao STF na expectativa de que seja fiel ao presidente que o escolheu. Nem sempre isso funciona. Cabe agora ao Kassio Nunes esclarecer, com as suas futuras decisões, se pretende usar a toga para lustrar o currículo ou se vai consolidar a sua trajetória como um bebedor de tubaína.”