Área para soja e milho deve aumentar nos Estados Unidos

No Brasil, agricultores e profissionais de mercado aguardam a divulgação dos dados norte-americanos porque eles têm potencial para impactar a dinâmica dos preços

  • Por Kellen Severo
  • 28/06/2021 08h59
jestermaroc/Pixabay plantação de soja Área de soja deve ficar em pouco mais de 36 milhões de hectares, acima dos 35,45 milhões projetados no fim do primeiro trimestre

A forte alta nos preços dos grãos observada ao longo dos últimos meses aumentou o interesse de agricultores em investir no setor agro. Quando os negócios vão bem, a área destinada às culturas que estão dando lucro tende a aumentar. Nos Estados Unidos, um dos maiores participantes do mercado global de commodities agrícolas e concorrente do Brasil, isso não é diferente. Nesta semana, o Departamento de Agricultura norte-americano divulgará um relatório com estimativas para a área plantada com soja e milho no país. Analistas de mercado esperam que o órgão do governo aponte aumento na área semeada em relação ao que foi destacado no relatório de março.

Uma pesquisa divulgada pelo Wall Street Jounal apontou que os profissionais de mercado consultados acreditam que haverá incremento no cultivo de soja e milho, por exemplo. A área de soja deve ficar em pouco mais de 36 milhões de hectares, acima dos 35,45 milhões projetados no fim do primeiro trimestre e acima dos 33 milhões da safra anterior. No caso do milho, a expectativa é que sejam semeados 37,97 milhões de hectares, acima dos 36,88 milhões previstos no fim de março. Se confirmado o aumento para o milho, ele ficará levemente acima da área da temporada passada, que foi de 36,75 milhões de hectares. No Brasil, agricultores e profissionais de mercado aguardam a divulgação dos dados de área plantada nos Estados Unidos, pois eles têm potencial para impactar a dinâmica dos preços. Se a área crescer e o tempo colaborar, uma safra farta pode estar a caminho. O documento do USDA será divulgado na quarta-feira com estimativas de área e estoques.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.