Com tensão em Taiwan, retaliação comercial da China aos EUA é possível

Se país de Xi Jinping evitar comprar dos norte-americanos, agro do Brasil pode se beneficiar como fornecedor

  • Por Kellen Severo
  • 03/08/2022 09h46 - Atualizado em 03/08/2022 11h01
EFE/EPA/HANDOUT/ TAIWAN PRESIDENTIAL OFFICE HANDOUT Nancy Pelo discursando em Taiwan A presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, visitou Taiwan durante sua viagem à Ásia, despertando a ira dos chineses

O edifício mais alto de Taipei foi iluminado com mensagens de boas vindas a Pelosi. Após o desembarque da presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, ela destacou o compromisso inabalável em apoiar a democracia de Taiwan. A China aumentou a atividade militar em torno da região e disse que a visita de Pelosi é uma violação severa do princípio de “Uma só China”. A ilha é alvo de interesse dos chineses para unificação de território e soberania. Já os Estados Unidos apoiam a independência da região. Em texto divulgado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, a China diz que Taiwan é a questão central e mais importante nas relações entre a China e os Estados Unidos. E acrescenta: a China tomará todas as medidas necessárias e defenderá a soberania nacional e a integridade territorial para responder à visita de Pelosi.

Com esses trechos, fica clara a piora na relação. Entre as consequências possíveis de agora em diante estão retaliações comerciais da China aos Estados Unidos. A especialista em China Larissa Wachholz me disse que também acredita em restrições para produtos norte-americanos e nesse caso, a depender do que se desenhar, o Brasil poderá ser um fornecedor importante para o país asiático neste período turbulento. Caso a China evite importar dos Estados Unidos, poderemos rever situações da época da Guerra Comercial, quando no ambiente agro houve um incremento de demanda para commodities agrícolas brasileiras e aumento dos embarques do Brasil para China em substituição à fatia de mercado deixada pelos norte-americanos. No caso de Taiwan, esse efeito comercial é apenas um dos impactos esperados no momento. A tensão envolvendo as duas maiores economias do mundo têm consequências diversas e imprevisíveis. O que podemos ter pela frente é aumento de riscos, custos e piora no ambiente de negócios mundial.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.