Entenda impactos no agro da tensão China-EUA sobre Taiwan

Pelosi vai à Ásia, mas a polêmica visita à Taiwan não está confirmada; o agro é o setor mais internacionalizado da economia brasileira e por isso altamente impactado pela geopolítica mundial

  • Por Kellen Severo
  • 01/08/2022 10h28
U.S. Department of State Wikimedia Commons Xi Jinping e Joe Biden Presidentes da China, Xi Jinping, e dos Estados Unidos, Joe Biden

A relação entre Estados Unidos e China piorou na última semana após o presidente chinês, Xi Jinping, alertar Joe Biden para ‘não brincar com fogo’. A conversa ocorreu no contexto de especulações sobre uma eventual ida de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Estados Unidos, a Taiwan. A ilha é alvo de interesse da China para unificação de território e soberania. Já os Estados Unidos apoiam a independência da região. Pelosi confirmou viagem a quatro países da Ásia, mas Taiwan não foi mencionado como destino. O comunicado oficial destacou a passagem por Cingapura, Malásia, Coreia do Sul e Japão. O objetivo da comitiva do Congresso dos Estados Unidos é discutir comércio, mudanças climáticas, segurança e governança democrática. Consultorias como a Arko Advice avaliam que a relação entre Estados Unidos e China pode piorar ainda mais se Pelosi for até Taiwan. Após a invasão da Rússia na Ucrânia, cresceram as preocupações no Ocidente de que Pequim poderia tentar anexar a ilha. A China reivindica soberania sobre Taiwan e os militares chineses aumentaram significativamente sua atividade na região nos últimos dois anos.

E por que o agronegócio brasileiro monitora o tema? O agro é o setor mais internacionalizado da economia brasileira e por isso altamente impactado pela geopolítica mundial. Neste caso da China e dos Estados Unidos, o monitoramento é importante por algumas razões: 1) Estamos falando das duas maiores economias mundiais 2) A China é a principal fonte de importações dos Estados Unidos e há interdependência econômica entre ambos os países. Mudanças entre eles afetam os negócios no mundo, causando efeitos indiretos variados nos mercados, e diretos, via comércio exterior. 3) As duas maiores economias do mundo também estão no centro de uma disputa tecnológica envolvendo o 5G e Taiwan é o maior produtor global de chips. No contexto agro: 4) a China é o principal destino dos produtos do agronegócio brasileiro e responde por mais de um terço das nossas exportações. 5) Os Estados Unidos são um dos maiores importadores do mercado mundial de produtos do agronegócio. (O Brasil, apesar de ser grande exportador, tem participação de apenas 3% neste mercado). Importante lembrar que os Estados Unidos são concorrentes brasileiros em diversos mercados, com destaque para produtos como soja, milho, algodão e carnes.

Por esses e outros fatores, o agronegócio brasileiro se importa com a piora na relação entre China e Estados Unidos e seguirá acompanhando atentamente os desdobramentos dessa relação no debate sobre Taiwan. Da mesma maneira que o mercado de fertilizantes, alimentos e energia foi altamente impactado pela invasão da Rússia na Ucrânia, um eventual avanço de Pequim sobre Taiwan resultaria em impactos na cadeia agro, desde escassez de componentes manufaturados como chips até potenciais dificuldades de exportação e importação com China e Estados Unidos devido às sanções econômicas e bloqueios logísticos.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.