Em Assembleia da ONU, Bolsonaro destaca agricultura brasileira

No encontro, presidente elogiou a ‘moderna e sustentável agricultura de baixo carbono’, que ‘alimenta mais de 1 bilhão de pessoas no mundo’

  • Por Kellen Severo
  • 22/09/2021 10h00
EFE/EPA/EDUARDO MUNOZ / POOLPresidente Jair Bolsonaro aproveitou o palco da Assembleia-Geral das Nações Unidas para reforçar a sustentabilidade da agricultura brasileira

O presidente Jair Bolsonaro aproveitou o palco da Assembleia-Geral das Nações Unidas para reforçar a sustentabilidade da agricultura brasileira a partir de dados que refutam a tese de que o Brasil é o vilão na área ambiental. Citando estudos da Agência Espacial dos Estados Unidos, a Nasa, e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa, foram apresentados ao mundo números que comprovam o dinamismo do setor agropecuário, que faz mais com menos. “Nossa moderna e sustentável agricultura de baixo carbono alimenta mais de 1 bilhão de pessoas no mundo. Nenhum país tem uma legislação tão completa quanto a nossa. Nosso Código Florestal deve servir de exemplo para outros países. O Brasil é um país com dimensões continentais, com grandes desafios ambientais, são 8,5 milhões de quilômetros quadrados, dos quais 66%, ou 2/3, são vegetação nativa, a mesma desde o descobrimento, em 1500”, disse o presidente.

De fato, o Brasil é um país com grandes dimensões e desafios na gestão ambiental. Muito já está sendo feito e ainda há muito por fazer. Além de comunicar os dados que comprovam as boas práticas aqui adotadas, precisamos avançar para a comprovação de tudo isso, de forma transparente e de fácil acesso ao mercado. É inegável que a sustentabilidade ambiental é um ativo para o agronegócio brasileiro e por isso é acertada a estratégia de usar palcos como os desses eventos mundiais para reforçar o que temos feito por aqui. Hoje, o Brasil é líder mundial da proteção ambiental em terras públicas e também privadas. A Embrapa Territorial apontou que os imóveis rurais dedicam à preservação da vegetação nativa 26,7% do Brasil. É preciso conhecer para reconhecer o belo trabalho que o agro está fazendo.