Tereza Cristina vai a Roma em defesa da agricultura tropical na pré-Cúpula da ONU

Diante do risco de avanço de pautas que podem prejudicar o agronegócio do país, Brasil toma acertada decisão de viajar à Itália para protagonizar o debate e construir a discussão de forma conjunta

  • Por Kellen Severo
  • 26/07/2021 11h00 - Atualizado em 26/07/2021 11h00
Carlos Silva /MAPA - 12/07/2021Tereza Cristina, ministra da Agricultura, participará da pré-Cúpula da ONU em Roma

Começa hoje a pré-Cúpula dos Sistemas Alimentares, iniciativa convocada pelo Secretário-Geral das Nações Unidas e organizada por diversas entidades como universidades e ONGs. O encontro vai tratar dos objetivos de desenvolvimento sustentável no contexto da produção e consumo de alimentos. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e uma comitiva do Brasil estarão em Roma para defender a sustentabilidade da agricultura e pecuária de regiões tropicais, tentar evitar o avanço de pautas contrárias ao consumo de proteína animal e ataques ao comércio internacional e às cadeias longas de suprimento. De acordo com o assessor especial da ministra, Fernando Zelner, as discussões do evento podem impactar em decisões futuras de comércio e consumo que seriam prejudiciais ao agronegócio do Brasil e região. “A impressão que a gente tem é que está sendo construída uma história na qual apenas determinados tipos de agricultura podem ser sustentáveis. Os que podem ser sustentáveis emulam os países de clima temperado e são diferentes da agricultura tropical que predomina no Brasil. Diante desse risco e da importância da pecuária e agricultura para o Brasil e região, Tereza Cristina decidiu que precisava ir e falar para os atores mais importantes da cúpula, para que fique muito claro que o Brasil não está gostando da forma como isso está sendo feito. Temos um posicionamento de todas as Américas — dos países que reúnem regiões com importância significativa. Nos reunimos e trabalhamos esse posicionamento conjunto”, disse Zelner .

O resultado da pré-cúpula não é vinculante, mas isso não quer dizer que os estudos que dali saírem não poderão ser utilizados em outros processos vinculantes para fortalecer posições junto à Organização Mundial do Comércio, por exemplo. Pensando nisso, a equipe brasileira, munida de dados que asseguram a sustentabilidade e as boas práticas da agricultura tropical, vai participar ativamente do encontro. Decisão acertada a de ir para Roma e protagonizar o debate, fornecer informações e construir a discussão de forma conjunta. Esse é o caminho que o agronegócio brasileiro deve seguir: mais propositivo e menos reativo A pauta do evento é bastante extensa e envolve temas como o combate ao desperdício, a proteção do meio ambiente, a categorização de alimentos saudáveis e mais. A pré-cúpula vai até o dia 28 de julho. Logo, em setembro será realizada a Cúpula dos Sistemas Alimentares durante a semana de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas.