A suplência no Senado é um absurdo

  • Por Jovem Pan
  • 10/05/2018 10h27
Jonas Pereira/Agência SenadoPense bem em quem votar para o Senado, pois não parece ser um cargo muito desejado por quem chega lá

O comentarista Marco Antonio Villa opinou que é a favor de apenas uma casa legislativa.

Ele compara o sistema brasileiro ao equivalente do Senado em outros Países.

São Paulo elegerá dois senadores. Marta Suplicy deixou o suplente no Senado para ser ministra de Dilma Rousseff. No meio do mandato, também foi candidata a prefeita.

José Serra foi eleito com mais de um milhão de votos a mais que Eduardo Paradão Suplicy. Serra foi ministro de Temer, deixando o suplente José Aníbal, e agora reassumiu o mandato e sumiu.

Aloysio Nunes Ferreira também foi ser ministro das Relações Exteriores e deixou Airton Sandoval no lugar no Senado. Quem é Airton Sandoval?

A suplência é um absurdo, uma excrescência. Itamar Franco morreu, ficou seis meses como senador e Zezé Perrella assumiu e ficou sete anos e meio no cargo.

Assista ao comentário completo: