Dez dicas para falar bem nas reuniões, conversas e apresentações

Preparar-se para objeções, usar vocabulário e tom de voz apropriados e, principalmente, ser natural são conselhos valiosos para quem quer se apresentar em público com desenvoltura

  • Por Reinaldo Polito
  • 23/06/2022 08h00 - Atualizado em 23/06/2022 12h07
master1305 - www.freepik.com Homem negro fazendo apresentação no salão na oficina universitária. auditório ou sala de conferências É essencial esclarecer logo no início, em uma frase ou duas, qual o tema e a finalidade da apresentação

Se você deseja se projetar bem nas reuniões, conversar com desembaraço e confiança no relacionamento com amigos, familiares, colegas de trabalho, e impressionar nas palestras e conferências, siga essas dez dicas simples e eficientes. Aqui está a essência do curso de oratória que tenho ministrado ao longo dos últimos 47 anos. Um precioso material para que a sua comunicação seja ainda mais expressiva e atraente.

1 – Conte sobre o que irá falar

Observe como muitas pessoas falam, falam, falam e você tem dificuldade para entender qual o objetivo da conversa ou da apresentação. Se elas esclarecessem logo no início, em uma frase ou duas, qual o tema e a finalidade da exposição, seria muito mais fácil acompanhar o desenvolvimento do raciocínio. Por isso, conte logo nos primeiros momentos qual o assunto que será abordado. 

2 – Esclareça qual o problema

Para que os ouvintes entendam com mais facilidade a solução apresentada para um determinado problema, é importante que saibam antes qual a questão que será solucionada. Dessa forma, antes de expor a solução do problema, revele, com os detalhes necessários, qual é o problema. 

3 – Esteja preparado para as objeções

Ao apresentar um projeto na reunião da empresa, por exemplo, tenha em mente, com bastante clareza, que tipo de resistência os outros participantes poderão levantar às suas ideias. O ideal é reunir o pessoal mais próximo, como a equipe de trabalho, e pedir que eles exponham todas as objeções possíveis de serem enfrentadas.

4 – Cuidado para não imaginar objeções inexistentes

O perigo de se preparar muito para as objeções que poderiam surgir é o de tentar refutá-las antes mesmo que sejam mencionadas pelos interlocutores. Talvez você alerte para uma resistência que nem havia passado pela mente dos ouvintes. No caso de dúvida sobre as pessoas terem ou não essa discordância, a melhor atitude é a de reforçar a linha de argumentação para eliminá-la caso esteja presente.

5 – Use um vocabulário apropriado

Se você falar com profissionais da sua área, poderá fazer uso de vocabulário técnico, específico da sua atividade. Nesse caso, além de facilitar o entendimento dos ouvintes, ajudará a projetar a imagem profissional de forma positiva. Se os ouvintes não estiverem familiarizados com esses termos, é preciso ter o cuidado de usar uma linguagem mais simples, para que a mensagem possa ser compreendida.

6 – Conheça bem os ouvintes

Uma mensagem não poderá ser transmitida da mesma maneira para públicos distintos. Se os ouvintes forem jovens, as informações deverão ser direcionadas para o futuro. Se, entretanto, as pessoas forem mais idosas, o ideal seria desenvolver o tema com referências ao passado. No caso de serem despreparadas intelectualmente, se no final levantar uma reflexão, deverá dar a elas a conclusão. Se forem bem preparadas, a conclusão poderá ficar por conta da plateia.

7 – Conquiste os ouvintes logo no início

Conquiste a torcida dos ouvintes já no momento de cumprimentar. Se dirigir as palavras iniciais com simpatia e cordialidade, será maior a chance de que torçam pelo seu sucesso. Assim como ficarão benevolentes se você tiver o cuidado de agradecer o convite recebido para falar e elogiar de forma sincera a qualidade do público. 

8 – Use um volume de voz apropriado

Você não poderá falar aos sussurros em uma reunião numerosa. Assim como não deverá se expressar aos gritos diante de poucas pessoas. O volume da voz precisa estar de acordo com o tamanho do público, com a acústica do ambiente e a distância dos ouvintes. É prudente chegar um pouco mais cedo à sala da reunião e observar onde será mais adequado se posicionar para que a voz possa ser ouvida com mais facilidade.

9 – Imprima um bom ritmo

Alterne o volume da voz e da velocidade da fala. Dessa forma irá desenvolver um ritmo agradável, que motivará ainda mais os ouvintes a se envolverem com a apresentação. Portanto, nada de falar com aquele tom monocórdio que acaba por se transformar em verdadeiro sonífero para a plateia.

10 – Seja natural

Essa é a mais importante de todas as recomendações. Se você falar como se estivesse conversando de forma animada com alguns amigos, desenvolverá o melhor estilo que poderia pretender. Os gestos surgirão espontaneamente, as palavras identificarão sem esforço os pensamentos, o raciocínio seguirá uma ordem lógica e concatenada. Lembre-se sempre, entretanto, de que naturalidade não é sinônimo de negligência. Por isso, posicione-se de maneira elegante sobre as pernas, evite manter as mãos nos bolsos, ou os braços cruzados, pronuncie bem as palavras, faça pausas corretas no final de cada informação relevante. Siga pelo Instagram: @polito.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.