Seguro de automóvel: saiba como contratar e evite problemas

Embora simples, a contratação desse serviço requer conhecimento

  • Por Ricardo Motta
  • 30/07/2022 10h00
Marcelo Camargo/Agência Brasil pátio de concenssionária com carros à venda Contratação de seguro de carro é importante para minimizar os problemas em caso de roubo, furto ou acidente de trânsito

Não há como negar a satisfação de sair de uma concessionária dirigindo o seu próprio carro. Para manter a alegria e minimizar os problemas, é fundamental a contratação prévia de um seguro auto. Além dos altos índices de roubo de carro em nosso país, todos os motoristas estão expostos a riscos diários de acidentes de trânsito. Veja algumas dicas:

 

  • Quais são as suas necessidades com o carro? Avalie a sua necessidade e faça a melhor opção quanto ao seguro que será contratado. Se você utilizar diariamente o veículo, o mais recomendado seria uma cobertura mais completa. Caso a circulação com o veículo seja mais esporádica, apenas nos finais de semana, talvez uma cobertura contra roubo e furto possa ser uma alternativa. 
  • Seu carro é visado? Saber se o carro que está sendo comprado é ou não visado, fruto de constante roubo ou furto, é fundamental. Isso pode aumentar ou reduzir as chances de um sinistro e, como consequência, influenciar no valor do “prêmio” (valor a ser pago pela apólice) a ser contratado. 
  • Quais são os Tipos de Seguro? No geral, existem 04 tipos:
  1. Seguro Compreensivo: trata-se da cobertura mais completa e a mais cara, recomendada para quem utiliza diariamente o veículo;
  2. Seguro de Furto e Roubo: é a modalidade que apenas protege o veículo nos casos de subtração do veículo;
  3. Seguro para Terceiros: é a cobertura que protege contra os danos causados a outras pessoas envolvidas no sinistro com o segurado. Esta modalidade pode ser contratada como um complemento em outros tipos de seguro;
  4. Seguro para Passageiros: esta cobertura protege o segurado contra danos morais, pessoais ou físicos sofridos pelos passageiros do veículo.

 

  • Atenção com o “Formulário de Risco”. Necessários para análise sobre a aceitação ou não do seguro pela seguradora, possuem informações que influenciam diretamente no valor final da “apólice” (contrato assinado entre as partes, onde estão descritos todos os direitos, deveres, coberturas e responsabilidades das partes). Mesmo que alguma informação possa aumentar o valor do seguro, o fornecimento de dados falsos pode ocasionar a recusa da seguradora em efetuar o pagamento de indenizações. 

 

  • O que é a Franquia? A franquia é o valor que deve ser pago pelo segurado para atendimento de um sinistro parcial. Normalmente é atribuído um valor fixo quando da contratação do seguro. Para casos em que ocorra a perda total do veículo, a franquia do seguro não é cobrada, assim como os casos de solicitação de serviços referentes à assistência 24 horas e no acionamento do seguro de terceiros.

 

  • Conte sempre um Corretor de Seguros. É fundamental contar com um corretor de seguro capaz de compreender as suas necessidades, para buscar exatamente o que você precisa. Além disso, o corretor pode te ajudar com todas as suas dúvidas e explicar exatamente como funciona e o que está incluído no seguro que está sendo contratado.

 

  • Pesquise sobre a Seguradora. O setor de seguros é um órgão regulamentado e a “Susep” (Superintendência dos Seguros Privados) é o órgão responsável. Em seu site (www.susep.gov.br) é possível pesquisar informações sobre seguradoras, corretoras de seguro e corretores autônomos que trabalham por conta própria. Apenas as companhias registradas podem comercializar seguros no Brasil. Não corra riscos, proteja-se das situações inesperadas. Previna-se e tenha segurança com seu carro.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.