Constantino: Com Johnson eleito, Brexit deve acontecer mesmo sem acordo

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2019 10h19
EFEReino Unido espera resgatar soberania nacional

Boris Johnson foi eleito líder do Partido Conservador britânico e, por consequência, primeiro-ministro do Reino Unido, de acordo com o resultado da eleição interna da legenda, divulgado nesta terça-feira (23). Durante a campanha interna, Johnson deixou claro que cumprirá o prazo de 31 de outubro do Brexit, um processo que classificou como “tudo ou nada”, o que fez soar os alarmes sobre a possibilidade de que o país saia da União Europeia sem pacto algum.

“Johnson está muito alinhado com a questão do Brexit e essa é a grande diferença. Agora os conservadores, para o bem ou para o mal, perdem a desculpa de falar que o problema era que o acordo de saída estava sendo liderado por pessoas que não defendiam realmente o Brexit, como a Theresa May antes do Cameron. Eles eram mais associados a algo governista, que apoia a visão de Bruxelas e o globalismo, enquanto o Johson não, ele é chamado por alguns de Trump britânico. A questão do Brexit é vendida como uma coisa de alienados que estavam incomodados com a globalização, parecido com o fenômeno do Trump, que é descrito assim também nos Estados Unidos. E não é bem assim. Os britânicos querem resgatar a soberania nacional. O plebiscito foi vencido pelos que querem sair, fizeram um enorme alarmismo, disseram que isso ia atrapalhar a economia, mas nada disso aconteceu – pelo contrário, a economia britânica vai bem, com desemprego baixo. Mas ficou a Theresa May tentando conversar demais, ceder demais, porque no fundo ela não quer sair. Então agora está nas mãos de alguém que é preparado e que quer o Brexit, e ele prefere, inclusive, sair sem acordo do que ficar nessa situação. Há uma expectativa de resgatar essa soberania “, avaliou Constantino.