Constantino: Sempre foi perigoso e arriscado ser jornalista no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2020 07h58
Hélvio Romero/Estadão ConteúdoSegundo o levantamento da Fenaj, foram 208 casos em 2019 -- contra 135 em 2018

Disparam os casos de violência contra veículos da imprensa e jornalistas no Brasil. Segundo o levantamento da Fenaj, foram 208 casos em 2019 — contra 135 em 2018.

“Algo extremamente preocupante. Sempre foi perigoso e arriscado ser jornalista no Brasil, especialmente em locais mais remotos onde não há o holofote nacional.

E é obvio que a retórica de Jair Bolsonaro não ajuda em nada isso. Ele foi responsável, segundo uma pesquisa publicada pela Folha de S. Paulo, por 58% dos ataques verbais à imprensa.

Evidente que Bolsonaro selecionou o trabalho dos jornalistas como grande inimigo do seu governo e, em partes, é obvio que existe uma má vontade e viés ideológico contra o governo — e isso alimenta sua retórica.

Mas essa retórica não ajuda, apenas joga mais lenha na fogueira.”