Julgamento de recurso de Lula no plenário do STF deve ocorrer apenas em agosto

  • Por Jovem Pan
  • 26/06/2018 08h01
EFE/Antonio LacerdaO julgamento deve ocorrer apenas em agosto, pois a presidente do STF, Cármen Lúcia não deve pautar para antes do recesso parlamentar

O ministro Edson Fachin decidiu driblar a Segunda Turma do STF e mandou direto ao plenário da Corte um novo recurso de Lula para revogação da prisão. O julgamento, que ocorreria nesta terça-feira (26), agora está sem data exata para ser julgado.

Fachin julgou prejudicado o recurso anterior que pedia a soltura do petista, mas que ainda não tinha sido acatado pelo TRF4. Na sexta-feira, o TRF4 não admitiu o recurso, mas a defesa de Lula insistiu que fosse julgado pela Segunda Turma, e Fachin encaminhou direto ao plenário.

Ele fez isso no entendimento de ministros, advogados e apoiadores de Lula, para driblar um placar que lhe é adverso na Segunda Turma. Fachin busca o colegiado e justifica que o Pleno do STF já se manifestou no caso de Lula e que, portanto, seria o local ideal para se discutir o recurso.

O julgamento deve ocorrer apenas em agosto, pois a presidente do STF, Cármen Lúcia não deve pautar para antes do recesso parlamentar. Agora a PGR tem 15 dias para se manifestar a respeito.

Bolsonaro sedimenta posições com Lula desaparecendo

Nos levantamentos que aparece ele ainda lidera, mas há pesquisas que não incluem mais o petista.

Os adiamentos de seus recursos levam para frente a candidatura do petista.

Mas quando os eleitores são testados sem Lula no cenário, Bolsonaro começa a sedimentar posições – e muito a frente dos demais candidatos.

Entretanto, a eleição ainda é indefinida, só que o jogo está favorecendo o nome do PSL.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: