Dados da segurança pública me fazem desconfiar das estatísticas

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2017 10h10
Tomaz Silva / Agência Brasil Violência no RJ

O comentarista Marco Antonio Villa destaca uma pesquisa feita pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que afirma que um em cada três brasileiros acima de 16 anos tem ao menos um amigo ou parente que foi vítima de homicídio, o que equivale a cerca de 50 milhões de pessoas (35%).

O índice dos que tiveram familiares ou amigos mortos violentamente é maior entre os negros, 38%, enquanto entre os brancos é de 27%. O levantamento mostra ainda que 12% da população maior de 16 anos, cerca de 16 milhões de pessoas, tiveram alguém do circulo afetivo morto por um agente de segurança, policial ou guarda municipal. Entre os jovens, de 16 a 24 anos, esse percentual chega a 17%.

O levantamento revela ainda que foram vítimas de ferimentos com armas de fogo 4% dos entrevistados, o que representa na projeção populacional de 5 milhões de indivíduos com mais de 16 anos. As vítimas de facas e outras armas brancas somam 8%, ou 10 milhões de pessoas. Além disso, 12% dos ouvidos disseram ter sofrido ameaças de morte.

Quase todos os que responderam à pesquisa (94%) acreditam que o índice de homicídios no Brasil é muito alto e 96% acham que todas as esferas de governo precisam se unir para reduzir a violência.

Marco Antonio Villa diz duvidar dos dados: “Esses dados são muito problemáticos e transformam a Síria em um paraíso. Eu quero me mudar para Palmira, passar férias em Damasco (…) eu, como um aluno ruim de matemática, desconfio das estatísticas”.

Assista ao comentário completo:

*Com informações de Agência Brasil

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.