Entrevista de Haddad envergonha pela pobreza analítica

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2016 10h18
Reprodução Haddad come coxinha oferecida pela Jovem Pan

Perto de deixar a Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad lamenta a situação da esquerda no País.

Em entrevista à Folha de São Paulo, Fernando Haddad apontou que as próximas disputas no país serão apenas entre “direita e extrema direita”.

Marco Antonio Villa comenta: Haddad é um bobalhão. A entrevista envergonha pela pobreza analítica.

A repórter chapa-branca em nenhum momento perguntou sobre o petrolão.

Haddad vem com uns conceitos de que a revolta que levou ao impeachment foi por causa da classe média.

A agenda não está no ar.

Haddad perdeu em todas as zonas eleitorais, nas de rico, pobre, classe média, pequena burguesia, corintianos, palmeirenses, são paulinos, santistas.

Agora, cumpra a promessa: você falou que nunca mais vai exercer qualquer cargo público. Eu vou cobrar.

E os 90 dias de férias, é bom você tirar. Porque você é um exemplo de trabalhador, é um stakhanovismo na União Soviética.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.