O recado das urnas foi claro: estamos cansados da velha política

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2016 11h29
BRA53. SAO PAULO (BRASIL), 25/09/2016.- El expresidente brasileño Luiz Inácio Lula da Silva (i) durante un acto de campaña en apoyo al alcalde de Sao Paulo y candidato a la reelección, Fernando Haddad (d), hoy, domingo 25 de septiembre de 2016, por las calles de la periferia de Sao Paulo (Brasil), a una semana de la celebración de las elecciones municipales. EFE/Sebastião MoreiraEx-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com Fernando Haddad - EFE

Parece que a sociedade brasileira assistiu ao desmoronamento daquilo que pode ser considerado a maior mentira da história política deste país. E da desesperança.

O slogan era a ética na política, que lutava contra a economia de mercado, propriedade privada, controle da imprensa, dos chamados “meios sociais de comunicação”

Um eufemismo geral porque, na verdade, o que houve foi uma sociedade destinada a determinadas grandes empresas do País.

Houve uma divisão da dinheirama toda dos cofres públicos para justificar a entrega de dinheiro ao projeto de poder

Desde que Roberto Jefferson falou do mensalão, a compra de mentalidades do parlamento com o pagamento mensal, já se imaginava que esse eufemismo era monstruoso.

Justificava-se a propina e a corrupção como projeto de poder. Um eufemismo que negava a ilegalidade e a imoralidade do ato público dependendo dos fins a que se destinava.

Isso acabou.

Não foi necessária uma disputa nacional de eleição. Bastou a disputa para as prefeituras para se descobrir que essa grande campanha de poder se esmoronou de repente.

Agora é preciso ter muita atenção porque a divisão doutrinária é patente no País. O conservadorismo e a direita estão em ascensão.

Mas é preciso entender que os chamados “bolsões da pobreza” da cidade acabaram. João Doria (PSDB) venceu em 56 das 58 seções eleitorais, com exceção apenas de Parelheiros e Grajaú, na zona sul, onde venceu Marta.

É uma demonstração de que o povo desta cidade, que representa a totalidade do povo brasileiro, por mais humilde que seja, por mais distante que viva na longa periferia de São Paulo, tem a absoluta capacidade de entender o que é necessário e o que é preciso para o País.

o recado foi claro: estamos cansados da velha política. Queremos, sim, a gestão, uma nova gestão. Não apenas do sr. João Doria, que usou a questão como slogan. Mas de todos.

Porque apenas o capitalismo não é última expressão da sociedade moderna. Ainda temos 20% de famintos no mundo e um desespero que ronda várias sociedades deste planeta.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.