Constantino: Bolsonaro sai fortalecido porque alertou sobre a situação econômica

Os comentarista do 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram o tombo histórico de 9,7% do PIB brasileiro no segundo trimestre do ano, divulgado nesta terça-feira, 1º, pelo IBGE

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2020 18h20 - Atualizado em 01/09/2020 18h23
Marcos Corrêa/PRO presidente Jair Bolsonaro

Nesta terça-feira, 1º, o Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa (IBGE) divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro caiu 9,7% no segundo trimestre de 2020 na comparação com os três meses anteriores. Com isso, o Brasil em recessão técnica pela primeira vez desde o último semestre de 2016. Na avaliação do comentarista Rodrigo Constantino, do 3 em 1, da Jovem Pan, o número divulgado “está dentro da linha do esperado. Agora, o que é importante saber é se a recuperação vai ser em V ou não. Mas acho que ele [Paulo Guedes] está certo se as reformas forem aprovadas”.

Segundo ele, mesmo com o resultado do PIB que deixa o Brasil em recessão técnica, o presidente Jair Bolsonaro, que alertou sobre a economia ainda no início da pandemia do novo coronavírus, “sai fortalecido porque agora não dá pra negar que ele [Bolsonaro] alertou sobre a situação econômica. Ele mostrou que estava mais antenado com as demais reais do povo enquanto a turma da quarentena gourmet que tem emprego garantido não vê a realidade do povo. Os isolacionistas devem muitas explicações e o presidente colhe os frutos de uma postura adotada lá atrás”, disse.

Já para Thaís Oyama, o ministro da Economia, Paulo Guedes “soube vender o seu peixe muito bem e usou imagens muita boas para dizer que a economia brasileira recuou 10 anos”. Para ela, é importante olhar para o “lado positivo” dos números divulgados pelo IBGE com “o agronegócio puxado pela soja e pelo café” e também o auxílio emergencial que “foi uma injeção de dinheiro na veia”. Segundo ela, fontes do Palácio do Planalto revelam que o governo está otimista. Josias de Souza compara a economia com a saúde e diz que a “economia foi transferida da UTI para a enfermaria e espera-se bons resultados nos próximos trimestres”. “Quem der ouvidos ao ministro da Economia que diz o Brasil vai decolar em V se arrisca a fazer papel de bobo. A recuperação vai ser lenta e o paciente vai precisar de muita fisioterapia”, disse.

Assista à íntegra do 3 em 1 desta terça-feira, 1º: