Constantino critica ‘politização abjeta’ da cloroquina: ‘Passaram a demonizar e torcer contra’

Declaração foi dada pelo comentarista durante o programa 3 em 1 desta quarta-feira, 14, que debateu a nota técnica enviada pelo Ministério da Saúde à CPI da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 14/07/2021 18h01 - Atualizado em 14/07/2021 19h26
CADU ROLIM/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDODocumento foi enviado à CPI da Covid-19

O Ministério da Saúde admitiu que a cloroquina e outros medicamentos do chamado ‘Kit Covid’ são ineficazes contra o coronavírus. O documento diz que ‘alguns medicamentos foram testados e não mostraram benefícios clínicos na população de pacientes hospitalizados, portanto, não devem ser utilizados, sendo eles cloroquina ou hidroxicloroquina, azitromicina, lopinavir ou ritonavir, colchicina e plasma convalescente’. O documento também diz que, apesar de estarem em curso várias pesquisas sobre o tratamento da Covid-19, a ivermectina não possui evidência que justifique o uso em pacientes. Passada grande parte da pandemia, o Ministério da Saúde se alinha com a opinião da Organização Mundial da Saúde (OMS), fundamentada há mais de um ano. O documento foi enviado pela pasta após requerimento do senador Humberto Costa (PT-PE).

Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, desta quarta-feira, 14, o comentarista Rodrigo Constantino falou sobre o documento, dizendo que se trata de uma má notícia, mas que houve um “grau de politização abjeto” em relação ao medicamento. “Porque o presidente apostou num remédio que vários médicos e especialistas do mundo inteiro estavam mencionado com teorias e resultados aparentemente promissores, a turma de lá passou a demonizar um remédio e torcer contra, falando que não existe a possibilidade de nenhum tratamento, sendo que toda doença a gente trata. […] Ainda tem muito médico apostando nisso e são os que estão na frente da batalha, observando. E muitas vezes a ciência é feita assim. Eu quero dizer que eu não considero o estudo do Ministério da Saúde do Brasil a última palavra da ciência. […] É preciso tomar algum cuidado, essa politização é abjeta”, afirmou Constantino.

Confira a íntegra do programa desta quarta-feira, 14: