Constantino: Derrubada de veto denota total insensibilidade com o povo

Os comentaristas do 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram a derrubada do veto presidencial pelo Congresso à medida que permite reajuste aos servidores públicos

  • Por Jovem Pan
  • 20/08/2020 17h47 - Atualizado em 20/08/2020 17h48
Agência SenadoSenado durante sessão virtual

Nesta quarta-feira, 19, o Senado impôs uma derrota ao governo ao derrubar o veto presidencial à medida que permite reajuste salarial para algumas categorias do funcionalismo público até o fim de 2021. A proposta foi aprovada pelo Congresso dentro do socorro financeiro a estados e municípios, mas acabou barrada pelo Palácio do Planalto. O veto passa por votação nesta quinta na Câmara dos Deputados. Para o comentarista Rodrigo Constantino, do 3 em 1, da Jovem Pan, a derrubada do veto “denota total insensibilidade com o povo lá fora, que está trabalhando para pagar os impostos”.

“Parece que no Congresso não chegam os ventos de fora e a gente viu o vídeo do senador Major Olímpio vibrando e culpando o Paulo Guedes pela derrubada. É falta de contato com a realidade do povo brasileira e a resposta vai vir nas urnas”, avaliou. Segundo Thaís Oyama, os “demais atores do episódio”, como o presidente Jair Bolsonaro, que “deu uma declaração incisiva e se expôs ao desgaste, merecem reconhecimento”. “A mesma coisa em relação ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que vive às turras com o governo, mas não usou essa questão como instrumento de vingança pessoal e defendeu o veto”, disse.

Josias de Souza afirma que a derrubada do veto pelo Congresso é “um tapa nos brasileiros” e que a Câmara dos Deputados “não faz mais do que a obrigação ao corrigir essa lambança”. “Dizem que o eleitor brasileiro não tem memória, mas o que falta é um pouco de curiosidade. Democracia dá trabalho. Em votações emblemáticas como essa é preciso acompanhar e saber quem votou o que. As pessoas precisam se atentar ao que está acontecendo”, disse.