Josias: Aceno de Renan Calheiros a Bolsonaro é sinal de que ‘tinhoso está dando as caras na política’

As entrelinhas da fala do senador Renan Calheiros sobre o presidente Jair Bolsonaro foram analisadas pelos comentaristas do 3 em 1 nesta quarta-feira, 7

  • Por Jovem Pan
  • 07/10/2020 19h41 - Atualizado em 07/10/2020 19h42
Agência BrasilRenan Calheiros falou de 'grande legado' de Jair Bolsonaro

O polêmico elogio do senador Renan Calheiros ao “grande legado” do presidente Jair Bolsonaro causou polêmica e se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nesta quarta-feira, 7. Os comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram a fala do senador e as prováveis entrelinhas do aceno ao presidente. O comentarista Josias de Souza lembrou do momento em que Calheiros cita Deus como “o responsável por impedir que os sistemas governamentais anteriores ao de Jair Bolsonaro destruíssem a política nacional”. “A única impropriedade nesses comentários do Renan Calheiros é a menção a Deus, porque o todo poderoso realmente está em toda a parte, mas, no momento, é o tinhoso que está dando as caras na política”, avaliou. Já Tales Faria, o posicionamento demonstra que Calheiros é uma “raposa” na política. “Ele não é bolsonarista, o que ele está querendo é o seguinte: Bolsonaro precisa do Congresso, e vai pedir apoio para aprovar o Renda Cidadã, entre outros projetos. ‘Tudo bem bolsonaro, a gente dá para você, mas você vai ter que aceitar ficar preso aqui na nossa coleirinha’, esse é o pensamento de Renan Calheiros”, analisou.

Thaís Oyama concordou com o posicionamento de Farias e lembrou que, como comentado no programa desta terça, Calheiros tem um histórico de apoios a presidentes desde a década de 1990. “Se é verdade que ele fez isso, é verdade que ele traiu pelo menos três presidentes da República também quando a popularidade deles baixaram: Collor, Dilma e Temer. Renan pulou do barco”, pontuou. Oyama lembrou que as falas dadas por Calheiros tiveram um tom de “deslavado ataque disfarçado de elogio”, já que a demissão de Sergio Moro, a nomeação do ministro Kassio Marques e a nomeação de Augusto Aras também foram citadas na entrevista à CNN.

Assista à íntegra do 3 em 1 desta quarta-feira, 7: