‘Pesquisa mais importante é a da rua’, diz Salles sobre levantamentos que mostram vantagem de Lula

Comentaristas do programa 3 em 1, da Jovem Pan, analisaram resultados de levantamento que apontam vitória do petista na corrida presidencial deste ano

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2022 18h00
Jovem Pan News / 3 em 1Para comentarista, apoio das ruas é mais importante do que o número divulgado pelas pesquisas

Uma pesquisa eleitoral realizada pela Genial Investimentos em parceria com a Quaest Consultoria mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria a corrida presidencial de 2022 em todos os cenários projetados para o segundo turno. De acordo com o levantamento, no primeiro turno, o petista aparece com 45% das intenções de voto, sendo seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que soma 23% das intenções. Em terceiro lugar na pesquisa aparece o ex-ministro e ex-juiz Sérgio Moro (Podemos), com 9%. Na sequência vêm Ciro Gomes (PDT), com 5%, João Doria (PSDB), com 3%, e Simone Tebet (MDB), com 1%. Os demais candidatos não apresentaram os votos suficientes para aparecerem no levantamento. Durante o programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Ricardo Salles analisou os números do levantamento, dizendo que a pesquisa mais importante é a das ruas e citando que, enquanto Bolsonaro é bem recebido pelo Brasil, Lula só participa de eventos fechados e com a sua “patota”. Além disso, o comentarista também criticou a metodologia das pesquisas deste tipo.

“A pesquisa mais importante é a pesquisa da rua. Você vê o Jair Bolsonaro aonde ele vai o povo vem, faz gestos a ele e aplaude. Claro, tem um ou outro contra, mas ele vai a qualquer lugar do Brasil com tranquilidade e é bem recebido pela população. O Lula só (vai) em evento fechado, controlado com a patota dele. Não tem coragem de ir para a rua. O Sérgio Moro, semana passada, estava no aeroporto e tomou vaia. Então eu prefiro muito mais essa pesquisa do mundo real do que a dos números e tudo mais. Até porque as metodologias das pesquisas estão ultrapassadas. Elas têm um sistema de verificação que eu tenho a impressão de que não espelha o que o cidadão pensa em vários temas, inclusive em intenção de voto”, afirmou Salles.

Confira o programa desta quarta-feira, 12: