Temos que diferenciar a pessoa Jair Bolsonaro das ações do governo Bolsonaro, defende Ricardo Salles

Durante o programa ‘3 em 1’, comentarista ressaltou que o Planalto dá respaldo à vacinação, apresar de o presidente ser ‘mais descrente’ em relação à eficácia dos imunizantes

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2022 17h58
Foto: Alan Santos/PRPara comentarista, é necessário entender as diferenças das ações do governo Bolsonaro das opiniões pessoais do presidente

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou nesta quinta-feira, 13, que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), é um grande apoiador da vacinação contra a Covid-19. A afirmação foi feita em defesa do mandatário após as repercussões da declaração de Bolsonaro sobre a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o presidente, a agência teria segundas intenções com a liberação da vacina infantil. Bolsonaro também afirmou que a variante Ômicron não tem matado ninguém e que ela é “bem-vinda” no Brasil. O comentário foi rebatido pelo diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan durante a conferência semanal da entidade sobre a Covid-19. Durante sua participação no programa 3 em 1, da Jovem Pan, o comentarista Ricardo Salles analisou as falas de Queiroga e disse que é necessário separar as opiniões pessoais do presidente Bolsonaro das ações que seu governo tem tomado para combater a doença.

“A gente tem que diferenciar bem a pessoa física do Jair Bolsonaro daquilo que o governo Jair Bolsonaro tem feito. O governo, hoje através do Queiroga, antes através de outros ministros, atuou em diversas frentes para que tivéssemos um grande volume de vacinas compradas e aplicadas, em que pese o presidente, e aí entra o presidente na (pessoa) física, seja uma pessoa mais descrente desta vacina ou deste sistema de vacinação contra a Covid-19. Não há como não fazer essa distinção. O governo atuou, e continua atuando, para dar respaldo à vacinação, comprou a CoronaVac, a Janssen, a Pfizer, a AstraZeneca, está comprando as doses infantis em que pese o presidente, na (pessoa) física, tenha uma opinião contrária ao alargamento da vacinação para as crianças, por exemplo. Essa distinção é evidente”, afirmou Salles durante o programa.

Confira o programa desta quinta-feira, 13: