Mauro Beting: No ‘Dérbi dos testes de Covid-19’, tanto Corinthians quanto Palmeiras erraram 

O comentarista do Grupo Jovem Pan opinou sobre a polêmica envolvendo os dois rivais na final do Campeonato Paulista

  • Por Jovem Pan
  • 04/08/2020 14h37 - Atualizado em 05/08/2020 14h04
ReproduçãoO comentarista Mauro Beting é um dos integrantes da equipe de esportes da Rádio Jovem Pan

Mesmo antes de a bola rolar, a final do Campeonato Paulista entre Corinthians e Palmeiras já provoca controvérsias. Durante toda a tarde da última segunda-feira, 04, os dois clubes divergiram e trocaram acusações a respeito da realização ou não de testes de Covid-19 nos elencos antes da decisão. O Verdão aceitou fazer os exames, mas o Timão foi contra, alegando que, ao contrário do rival, que liberou os atletas para dormirem em casa, cumpriu o protocolo de isolamento da Federação Paulista de Futebol (FPF), mantendo os jogadores em concentração desde a retomada do futebol no Estado de São Paulo. No fim, houve o seguinte acordo: por ter optado pelo isolamento total, o Corinthians não fará testes antes da primeira partida, ao contrário dos atletas alviverdes, que já foram examinados na última segunda-feira. No entanto, antes do jogo de volta, no próximo sábado, 08, os dois elencos terão de ser submetidos a novos testes. 

Em participação no Esporte em Discussão desta terça-feira, 04, no Grupo Jovem Pan, o comentarista Mauro Beting não hesitou e afirmou que tanto Corinthians quanto Palmeiras erraram nesse caso. “Eu entendo que as duas direções erraram. A do Palmeiras, primeiro, ao não seguir o protocolo, que foi acordado com os 16 clubes participantes do Paulistão. Se era para se fazer o confinamento, que se fizesse o tempo todo. Você pode discutir isso, mas, se era para se cumprir o protocolo, que se cumprisse. E entendo que a mensagem feita pelo presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, é deplorável”, disparou, referindo-se ao posicionamento adotado pelo clube alvinegro durante a polêmica. 

“Gente… Estamos em um momento em que é fundamental que se tenha responsabilidade e que se dê o exemplo. Então, quando o presidente do Corinthians fala que os jogadores não farão testes porque o Palmeiras, do outro lado, não cumpriu o protocolo… Gente, primeiro que é uma discussão infantil, com respeito às crianças. No caso específico do Corinthians, e eu diria se fosse o Palmeiras também, houve contato entre os atletas, houve contato com todo mundo. Infelizmente, o contato com um cadarço pode transmitir o vírus. Não dá para ter certeza. Então, quanto mais a gente tentar minimizar os estragos e as chances de contágio, melhor. Os dois lados erraram, e eu não vou dizer qual lado errou mais e qual lado errou menos. A mensagem passada pelos dois lados é horrorosa”, acrescentou.