Nilson Cesar exalta torcida do Flamengo após recorde mundial no YouTube: ‘Não foi surpresa’

Jogo entre Mengão e Boavista se tornou a live de evento esportivo mais assistida em todos os tempos na plataforma de vídeos

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2020 14h37 - Atualizado em 02/07/2020 14h39
Montagem sobre fotos/Reprodução/André Melo Andrade/Estadão ConteúdoÀ esquerda, o narrador Nilson Cesar, do Grupo Jovem Pan. À direita, os jogadores do Flamengo comemoram gol contra o Boavista

Disputado na última quarta-feira, 01, no Maracanã, o jogo entre Flamengo e Boavista, válido pela quinta rodada da Taça Rio, foi histórico. Primeiro, porque não contou com transmissão de nenhuma emissora de TV – e sim do clube mandante, que, amparado pela MP 984, exibiu o jogo no próprio canal no YouTube. E, segundo, porque essa transmissão simplesmente quebrou o recorde mundial e se tornou a live de evento esportivo mais assistida em todos os tempos na plataforma de vídeos. Mais de 2,2 milhões de pessoas acompanharam, simultaneamente, a partida, que já soma mais de 11 milhões de acessos menos de 20 horas depois de ter sido realizada. O jogo entrou também no Top 10 de lives com maior audiência na história do YouTube – considerando todos os conteúdos.

Tamanho sucesso fez o tema ser alvo de debate no Esporte em Discussão desta quinta-feira, 02. Para o narrador Nilson Cesar, do Grupo Jovem Pan, os números do duelo entre Flamengo e Boavista são impressionantes, mas não surpreendentes. O jornalista exaltou o engajamento da torcida rubro-negra e disse que não acha que esses recordes seriam quebrados se o jogo em questão envolvesse apenas um dos outros três grandes clubes do Rio de Janeiro. “Houve mais de 2 milhões de pessoas assistindo, e eu tinha avisado ontem: vai ser uma audiência estrondosa! Eu não sei isso ocorreria com a torcida do Fluminense, do Botafogo, do Vasco. Sinceramente, acho que não! Mas é Flamengo! E a torcida do Flamengo é diferente, abrange um País inteiro!”, afirmou.

De acordo com Nilson, a transmissão de ontem pode representar um primeiro passo para uma nova forma de se exibir jogos de futebol no Brasil. “Eu não sou favorável a monopólio nenhum! Eu defendo que a detentora dos direitos repasse, por meio de negociações, para quem tem interesse. Aí, você tem uma coisa democrática. Eu acho legal que se abra bastante espaço para muita gente transmitir. Tudo isso é muito válido. Estamos vivendo uma era tecnológica muito diferente. Para mim, não foi surpresa essa audiência. Bateu o recorde do mundo em um evento esportivo, gente! Isso é um negócio muito sério, que precisa ser analisado!”, finalizou.

Confira, abaixo, a íntegra do debate no Esporte em Discussão: