Academia online é alternativa para empresas e alunos na pandemia

Com restrições impostas pela crise sanitária, profissionais oferecem novos modelos de treinos para os adeptos aos exercícios físicos; serviço pela internet impulsiona retomada de faturamento

  • Por Jovem Pan
  • 24/05/2021 11h00 - Atualizado em 24/05/2021 11h03
PixabayAlém de reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, a atividade física regular é considerada fundamental para prevenir e controlar doenças

Com as restrições impostas pelo coronavírus, as pessoas tiveram que se adaptar a fim de manter a saúde física e mental em dia. A Camila Dantas foi mais uma empresária que teve que se reinventar durante a crise sanitária. Proprietária de uma academia no Rio de Janeiro, ela começou a ensinar exercícios na internet com objetos caseiros, como garrafas de água, cabo de vassoura e outros acessórios. O sucesso foi tão grande que ela registrou faturamento dez vezes maior do que com as atividades presenciais. “A minha empresa online agora é muito maior, é muito maior tanto em número de funcionários, de faturamento, da minha demanda agora de trabalho. A minha energia está toda para o online, mesmo abrindo, ‘acabou pandemia, todo mundo vacinado’, e ela só tá crescendo”, relata a empresária. O aluno Matheus Barros entrou na onda dos exercícios em casa. Mesmo com plano de academia pago, ele resolveu treinar com os vídeos da Camila nas redes sociais. Como resultado, além do benefício com a perda de peso, os exercícios o ajudaram com a saúde mental.

“Me priorizar, enxergar quem era a pessoa mais importante da minha vida, que era eu mesmo. Desde então é um processo que é difícil, não é fácil cuidar da alimentação e da atividade física, mas a Camila tem uma didática muito bacana e ela consegue fazer com que a gente enxergue essa capacidade da de nos cuidar e ajuda a gente demais”, conta o aluno. Além de reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, a atividade física regular é considerada fundamental para prevenir e controlar doenças cardíacas, diabetes e até mesmo câncer. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 5 milhões de mortes poderiam ser evitadas anualmente se a população mundial fosse mais ativa.

*Com informações do repórter Vinícius Moura