Alesp aprova criação do programa Bolsa do Povo com repasses de até R$ 500

Proposta de autoria do governo estadual, que deve beneficiar cerca de 500 mil pessoas, vai custar R$ 1 bilhão aos cofres públicos apenas em 2021

  • Por Jovem Pan
  • 30/04/2021 07h51 - Atualizado em 30/04/2021 10h15
ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Governo aponta que a proposta deve vai beneficiar cerca de 500 mil pessoas, tendo como público alvo, além dos beneficiários dos programas atuais, pais e mães de estudantes

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) aprovou nesta quinta-feira, 29, o programa “Bolsa do Povo”, de autoria do governo estadual. O texto prevê repasses de até R$ 500 por pessoa por meio de ampliação e unificação de outros projetos sociais já existentes. Segundo a gestão do governador João Doria, os programas Renda Cidadã e Ação Jovem vão receber um aumento de valor, passando de R$ 80 para R$ 100. O governo aponta ainda que a proposta deve vai beneficiar cerca de 500 mil pessoas, tendo como público alvo, além dos beneficiários dos programas atuais, pais e mães de estudantes. O novo programa custará R$ 1 bilhão aos cofres públicos apenas em 2021. Para o deputado Carlos Giannazi (PSOL), a iniciativa é um marketing do governo tucano.

“Esse projeto é uma verdadeira farsa, é um projeto fake news. Ele não representa nenhum tipo de avanço para o Estado de São Paulo. É um projeto que reúne apenas projetos sociais de várias secretarias em um fundo único, há uma reorganização desses projetos. É importante, mas não resolve a situação da população”, disse. O deputado Campos Machado (Avante) acredita que o texto tem ressalvas, mas reitera que a população tem urgência. “Todos deputados podem esperar, todos recebem salários e o humilde, o pobre, e o desamparado”, questionou. A Assembleia ainda precisa analisar oito emendas do projeto. A votação final será feita em uma nova sessão, mas que ainda não tem data definida.

*Com informações da repórter Camila Yunes