Anvisa proíbe venda sem receita de vermífugo testado contra a covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2020 07h02 - Atualizado em 17/04/2020 08h18
Agência BrasilO medicamento para ter a eficacia reconhecida e ser comercializado precisa de testes, aprovação e análise de médicos

Nesta quinta-feira (16) a Anvisa baixou uma resolução para venda e compra do medicamento de um novo medicamento capaz de ajudar no combate ao coronavírus. Com isso, a venda só pode acontecer para pessoas com receita especial. Ou seja, para que uma via da prescrição fique retida na farmácia e outra com o paciente.

O médico e infectologista Edimilson Migowski disse à reportagem da Jovem Pan que testes feitos em laboratório mostram que um vermífugo pode ser usado no tratamento para coronavírus. O remédio em questão é vendido com diversos nomes e marcas diferentes, sendo uma das nomenclaturas mais conhecidas como o medicamento Anitta.

O remédio custa, em média, entre R$ 60 e R$ 80. Os testes in vitro do medicamento para combater o coronavírus tiveram resultado, segundo o infectologista, satisfatório.

O medicamento para ter a eficacia reconhecida e ser comercializado precisa de testes, aprovação e análise de médicos e especialistas. Entretanto, como passamos por uma pandemia com muitos casos e mortes, para Edimilson, a hora é de dar um passo adiante e usar o vermífugo para tratamento da covid-19.

Migowski chegou a dizer que se os seus pais, idosos pertencentes ao grupo de risco do coronavírus, tiverem a doença, eles serão tratados com esse medicamento. “Esse produto é e pode ajudar, então por que não fazer, sobretudo, diante de uma situação que a gente tem um vírus que tem alta letalidade para pessoas acima de 70 a 80 anos.”

Ele ressaltou ainda que remédios desse tipo só podem ser vendidos com prescrição médica.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga