Após ano de sofrimento e tensão constante, médicos falam em aprendizado em 2020

No ano que passou, papel de profissionais da saúde foi ainda mais essencial do que em outros tempos

  • Por Jovem Pan
  • 31/12/2020 08h55
EFE/Orlando BarríaNesta quarta, o Brasil registrou 55 mil novos casos confirmados do coronavírus, elevando o total de infectados para 7.619.200

A virada de ano no Rio de Janeiro será de praias fechadas e sem a tradicional queima de fogos. As celebrações serão mais singelas. O Cristo Redentor, um dos pontos turísticos mais famosos do mundo, será iluminado à 00h com projeções homenageando os profissionais de saúde. Neste ano que agora se vai, o papel de médicos e enfermeiros foi ainda mais essencial do que em outros tempos. A coordenadora de UTI do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, Viviane Cordeiro, ressalta que, apesar de tantas dificuldades, 2020 também deixa muitos aprendizados. “Um ano que, como nunca, a ciência brasileira se desenvolveu tanto. Tivemos parcerias muito importantes que uniram esforços para trabalhar junto. Esse aprendizado, essas atitudes vão trazer um legado positivo que a gente espera que persista para o próximo ano.”

A coordenadora da UTI de infectologia do Hospital das Clínicas, Ho Yeh Li, lembra que o ano também foi solitário para ela e milhares de colegas, longe dos amigos e familiares para se dedicar inteiramente aos pacientes. Muitos deles acabaram se tornando vítimas da própria Covid-19. A médica reforça que, para o novo ano ser diferente, cada brasileiro precisa continuar fazendo a sua parte. “Todo mundo aprender a viver no novo normal. Aprender a se cuidar, respeitas as medidas e não se expor a toa. A doença está entre nós e não acabou. Vamos torcer para, em 2021, a gente aprenda a conviver no novo normal.”

A Viviane Cordeiro compartilha a mesma esperança de dias melhores. “Um ano  que a gente aprendeu a dar valor para as pequenas coisas. Com a chegada das vacinas, temos um ano difícil — mas mais promissor.” Nesta quarta, o Brasil registrou 55 mil novos casos confirmados do coronavírus, elevando o total de infectados para 7.619.200. Com 1.194 mortes em um período de apenas 24 horas, já são mais de 193.875 vidas perdidas por complicações da doença. Ao todo, 6.707.781 pessoas estão curadas.

*Com informações da repórter Letícia Santini