Após repercussão negativa, cientista chinês suspende estudo de edição de genes

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2018 08h22 - Atualizado em 29/11/2018 08h36
EFEO pesquisador He Jiankui afirmou que permitiu o nascimento de gêmeas que tiveram o DNA alterado

O cientista chinês que afirmou ter criado os primeiros bebês geneticamente modificados da história, disse que vai dar uma pausa nos testes clínicos.

A interrupção foi em decorrência da repercussão negativa da comunidade científica após a divulgação do estudo.

Em uma conferência em Hong Kong, o pesquisador He Jiankui afirmou que permitiu o nascimento de gêmeas que tiveram o DNA alterado para deixá-las mais resistentes ao vírus HIV. E explicou que oito casais, todos formados por um pai soropositivo e uma mãe soronegativa, se apresentaram de modo voluntário para a pesquisa.

Ainda durante o evento, o cientista revelou que uma outra voluntária do estudo está grávida de um bebê com genes modificados.

O experimento recebeu críticas em todo o mundo e a própria universidade em que o pesquisador está ligado, disse que investigará o caso.

A geneticista Mayana Zatz, diretora do Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano, da USP, disse estar preocupada com o estudo. Ela questionou como fica a questão ética em relação à pesquisa e disse esperar que o experimento pare, e seja retomado só quando houver a certeza da segurança do procedimento.

Em uma carta aberta, divulgada na terça-feira, mais de 100 cientistas chineses repudiaram a suposta edição genética de embriões humanos. E disseram que a técnica é arriscada e prejudica a reputação e o desenvolvimento da comunidade biomédica do país.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro