Após ser indiciado, Renan Calheiros aciona o STF por ‘abuso de autoridade’ da PF

Parlamentar foi denunciado no último sábado, 3, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; defesa alega que a Polícia Federal não tem competência para indiciar senadores

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2021 06h07 - Atualizado em 07/07/2021 09h26
Jefferson Rudy/Agência SenadoInvestigações apontam que o senador recebeu R$ 1 milhão em propina da construtora Odebrecht no ano de 2012

O senador Renan Calheiros (MDB) entrou nesta terça-feira, 6, no Supremo Tribunal Federal (STF) com uma ação por suposto abuso de autoridade cometido pela Polícia Federal (PF). Ele ingressa contra o delegado Vinicius Venturini, que no último sábado indiciou o parlamentar por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. As investigações apontam que o senador recebeu R$ 1 milhão em propina da construtora Odebrecht no ano de 2012. Atualmente, o parlamentar é o relator da CPI da Covid-19 no Senado Federal. Na ação que ingressou no STF, os advogados de Renan Calheiros lembram que a própria Corte já tem entendimento sobre o fato de a PF não ter competência para indiciar senadores da República. A defesa argumenta que essa é prerrogativa do Supremo e cita que ocorre um “grave e manifesto constrangimento ilegal, de ordem irreparável” com o ato do delegado, visto que o assunto foi amplamente divulgado pela imprensa.

*Com informações do repórter Fernando Martins