Após vitória de Doria nas prévias do PSDB, Vinholi fala em ‘união’ para fortalecer a terceira via

Segundo o presidente estadual da legenda, a proposta é apresentar um projeto focado na retomada econômica, no desenvolvimento do Brasil e que possa ‘tirar o país desta situação’

  • Por Jovem Pan
  • 29/11/2021 08h30 - Atualizado em 29/11/2021 08h59
VINICIUS NUNES/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDOVinholi reafirmou o desejo de João Doria de ter uma mulher como vice para as eleições de 2022

As prévias do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) se encerraram no sábado, 27, com vitória de João Doria como o escolhido pelos filiados para disputar a presidência da República em 2022. Com o resultado, o governador de São Paulo inicia o desafio de unir o partido e construir um projeto para tornar a terceira via mais forte, colocando fim ao extremos, explica Marco Vinholi, presidente do diretório em São Paulo. “A palavra é unidade, união e é isso que o governador começou fazendo. […] Governo vai construir plataformas, diálogo, união, para se tornar cada vez mais forte a terceira via, que chamamos de melhor via, que vai possibilitar que o Brasil volte a se desenvolver”, afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan.

Segundo Vinholi, as conversas sobre a candidatura de Doria já começaram logo após o resultado das prévias, situação que deve seguir pelos próximos meses. “Vejo daqueles que disputaram as prévias uma maturidade muito grande, uma manifestação em torno dessa união. Vamos trabalhar internamente no partido, mas também externamente, dialogando com a sociedade. Queremos apresentar um projeto que possa retomar a economia, o desenvolvimento do Brasil, gerar emprego e renda e tirar o país desta situação”, completou.

A respeito das eleições de 2022 e formação da chapa com o governador de São Paulo, Vinholi reafirmou o desejo de João Doria de ter uma mulher como vice, citando a admiração pela senadora Simone Tebet (MDB). No entanto, mesmo com as tratativas para o pleito em andamento, o secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo lembrou que ainda há muito trabalho para ser entregue no Estado antes das eleições. “O governo fez uma reforma fundamental para poder fazer os investimentos necessários, são mais de R$ 50 bilhões, das pequenas cidades a grandes obras do metrô na capital. Tem muita coisa para ser entregue até abril do ano que vem”, finalizou.