Atendimentos por Covid-19 em hospitais privados do país disparam e registram aumento de 655%

Foram confirmados 13.040 diagnósticos positivos para o coronavírus, 21% de todos os exames realizados, e pouco menos de 8 mil para Influenza, referente a 42% dos testes

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2022 11h33 - Atualizado em 08/01/2022 12h34
MISTER SHADOW / ASI / ESTADÃO CONTEÚDO Hospitais começam a desmobilizar leitos de UTI 88% das 33 instituições que responderam à Associação Nacional dos Hospitais Privados registraram aumento de casos positivos de Covid-19 e Influenza

Das 33 instituições que responderam à Associação Nacional dos Hospitais Privados, 88% registraram aumento de casos positivos de Covid-19 e de Influenza na comparação com dezembro. No caso da Covid, o incremento foi de, em média, 655%, mas alguns relataram aumentos maiores que 1000%. Foram 13.040 diagnósticos positivos neste período – o que representa 21% de todos os exames realizados. Das pessoas que foram contaminadas, 32% precisaram ser internadas. Já o crescimento no número de casos de Influenza foi, em média, de 270%. Foram registrados pouco menos de 8 mil confirmados, referente a 42% de todos os exames feitos. Dados da pesquisa mostram ainda que 22% dos casos confirmados desde dezembro para a gripe resultaram em internação.

Em São Paulo, 90% dos hospitais registraram aumento do atendimento presencial ou em telesaúde, tanto em ambulatórios como em pronto-socorro. Destes, mais de metade declararam que o atendimento aumentou em 110%, no intervalo de 15 dias. Os dados são do sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado. O levantamento revelou ainda que 76% das unidades viram aumento nas internações por gripe.

Para garantir o atendimento nos pronto-socorros, a Associação dos Hospitais Privados fez algumas recomendações à população. Devem procurar o PS apenas os pacientes com doenças crônicas pré-existentes ou com sintomas persistentes ou sinais de acometimento mais grave, como falta de ar, febre persistente, tosse intensa. Aqueles que estiverem com sintomas leves ou assintomáticos devem priorizar a busca por atendimentos ambulatoriais, como consultas médicas. Nesses casos, a Anahp recomenda a telemedicina.

*Com informações da repórter Nanny Cox