Atividade industrial registra queda em janeiro, mas empresários seguem otimistas

Levantamento feito pela Confederação Nacional da Indústria ainda aponta para uma tendência de desaceleração do setor no segundo semestre de 2022

  • Por Jovem Pan
  • 16/02/2022 06h52 - Atualizado em 16/02/2022 12h20
EFE/EPA/VASSIL DONEV Indústria brasileira volta a registrar avanço em maio após três meses de retração Incertezas da economia, desemprego elevado e a perda do poder de compra das famílias, por conta da inflação, são fatores que reduzem a demanda pelos produtos industrializados

A atividade industrial brasileira registra queda em janeiro. A utilização da capacidade instalada, a produção e o emprego caíram em relação a dezembro. A sondagem Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta uma tendência desaceleração no segundo semestre de 2021 e que o otimismo dos empresários segue moderado. É o que explica o gerente de análise econômicas da CNI, Marcelo Azevedo: “A gente teve estabilidade nos estoques nesse início de ano, o que é muito importante, pois a indústria havia enfrentado um longo período de estoques muito baixos, e é uma estabilidade que vem de alguns meses, que continuou nesse mês de janeiro. Além disso, as expectativas seguem otimistas. Há uma certa moderação, as expectativas foram mais otimistas em inícios de outros anos, mas ainda há expectativa tanto de aumento de investimento, como também uma expectativa de alta de demanda, de contratações e de exportações”. A CNI ressalta que as incertezas da economia, desemprego elevado e a perda do poder de compra das famílias, por conta da inflação, são fatores que reduzem a demanda pelos produtos industrializados no ano marcado ainda pelas eleições presidenciais.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos