Bolsonaro deve ser operado para retirada de cálculo nas próximas semanas, diz médico

Os últimos exames do presidente mostram que ele está bem de saúde, embora sinta ligeiro desconforto

  • Por Jovem Pan
  • 16/09/2020 07h44 - Atualizado em 16/09/2020 08h07
Carolina Antunes/PRCarolina Antunes/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deve ser operado nas próximas semanas para retirada de um cálculo na bexiga, que vem causando um ligeiro desconforto ao chefe do Executivo federal. A cirurgia deve acontecer em São Paulo e será conduzida por um médico especialista, um urologista, com vasta experiência na área. A operação é considerada simples, no entanto, como o presidente já fez quatro cirurgias desde a facada recebida na corrida eleitoral em 2018, o quadro se torna mais delicado. Jair Bolsonaro fez exames que constataram a presença desse cálculo após ele manifestar dor local. Agora, ele se prepara para a futura intervenção.

Os últimos exames do presidente mostram que ele está bem de saúde, embora tenha ganho um pouco de peso. O médico Antônio Macedo, que acompanhou três operações do presidente, disse à Jovem Pan que a nova operação não tem relação com o acontecimento de 2018, reforçando que a ocorrência é comum. Segundo o médico, o procedimento poderá acontecer de duas formas: por endoscopia, que destrói na hora o cálculo, ou por uma incisão na parte superior da bexiga para a retirada do cálculo. No pós-operatório, a operação exigirá um repouso de cerca de cinco dias de Bolsonaro. O cirurgião acredita que o presidente poderá despachar da residência oficial, mas reforça que deverá evitar esforços.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga