Bolsonaro e Guedes reúnem líderes nesta terça para discutir prorrogação do auxílio emergencial

A ideia é renovar o benefício até dezembro, ou seja, garantir mais quatro parcelas até o fim do ano

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2020 07h28 - Atualizado em 01/09/2020 08h37
Carolina Antunes/PRJair Bolsonaro voltou a se reunir com Paulo Guedes e com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, para discutir o assunto

O presidente Jair Bolsonaro reúne líder partidários no Palácio da Alvorada nesta terça-feira, 1º. A expectativa é que anuncie a prorrogação do auxílio emergencial, que deve ficar em torno de R$ 300. A ideia é renovar o benefício até dezembro, ou seja, garantir mais quatro parcelas até o fim do ano. Quem se cadastrou cedo, já recebeu cinco parcelas de R$600, o que custa algo em torno de R$ 50 bilhões por mês. O ministro da Economia, Paulo Guedes, havia sinalizado a possibilidade de antecipar o anúncio do programa Renda Brasil, que vai substitui o Bolsa Família, para evitar a prorrogação do auxílio emergencial. No entanto, a avaliação é que o programa não está totalmente pronto. Por isso, o presidente quer uma definição rápida sobre o auxílio emergencial.

Jair Bolsonaro voltou a se reunir com Paulo Guedes e com o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, para discutir o assunto. Ao mesmo tempo, o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, diz que não tem participado das negociações e evitou especular sobre os valores que serão apresentados por Bolsonaro. “O meu pacote é outro, não é esse aí”, disse aos jornalistas. Ainda na segunda-feira, o presidente passou por exames no serviço médico do Palácio do Planalto. A informação é que Bolsonaro está com problemas renais e deve se submeter a um procedimento cirúrgico ainda em setembro.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin