Bolsonaro lamenta mortes pela Covid-19, mas diz ser preciso ‘seguir em frente’

O presidente voltou a defender a utilização da cloroquina, afirmando que não há garantia que faz bem, mas também não há como garantir de que faz mal

  • Por Jovem Pan
  • 01/08/2020 07h06
Marcos Corrêa/PRQuestionado sobre a possibilidade de recriação da CPMF, o presidente não quis conversa e encerrou a entrevista

Curado da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a necessidade da população enfrentar o coronavírus. Segundo o presidente não tem como fugir, por isso, é preciso proteger os idosos. O presidente, que esteve na sexta-feira (31) em Bagé, no Rio Grande do Sul, quando elogiou o prefeito da cidade, Divaldo Lara, que decidiu não fechar o município. Com a presença do Chefe de Executivo federal, uma aglomeração foi causada, o que contraindicado pelas autoridades de saúde por causa da pandemia.

Ainda durante a viagem, o presidente voltou a defender a utilização da cloroquina para a Covid-19. Ele lembrou que ninguém garante que faz bem, mas também não há como garantir de que faz mal. A viagem de Bolsonaro é a segunda consecutiva que aconteceu nesta semana. Na quinta-feira, 30, o presidente tinha ido ao Nordeste. Ele, inclusive, já avisou, que pelo menos uma vez por semana quer sair de Brasília e retomar a agenda de inaugurações,  apesar das indicações para que o presidente mantenha um ritmo mais calmo no retorno das atividades após ser infectado pelo coronavírus.

Questionado sobre a possibilidade de recriação da CPMF, o presidente não quis conversa e encerrou a entrevista. Ele entregou no Rio Grande do Sul um conjunto habitacional com 1.164 moradias que custaram cerca de R$ 87 milhões e vão beneficiar quase 5 mil pessoas. Para a semana que vem, o presidente tinha previsão de ir para o Vale do Ribeira, em São Paulo, mas diante da sinalização do governo local de que pode decretar o local como área vermelha, a viagem pode ser cancelada.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin