Bolsonaro leva Pazuello em sua primeira viagem a Manaus após colapso hospitalar pela Covid-19

Ex-ministro é um dos principais alvos da CPI da Covid-19, que será instalada no Senado para investigar supostas omissões do governo federal nos repasses da União aos Estados e municípios

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2021 12h06 - Atualizado em 24/04/2021 13h14
Isac Nóbrega/PRJair Bolsonaro fez elogios tímidos ao ex-ministro do Eduardo Pazuello

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levou o ex-ministro Eduardo Pazuello ao Amazonas em clima de desagravo ao ex-ministro da Saúde. O presidente inaugurou um Centro de Convenções para 10 mil pessoas. Pazuello, natural de Manaus, foi ovacionado após elogios do ministro do Turismo, Gilson Machado. “Eu fui testemunha da luta desse homem pela radicação da doença no nosso país. Eu fui testemunha de que, um dia após a Anvisa liberar a vacina no Brasil, eu estava com o presidente Jair Bolsonaro, em Coribe, na Bahia, e já tinha a vacina em todo o Brasil. Eu quero dizer Pazuello que somos muito gratos ao seu empenho”, disse Machado. O ex-ministro é um dos principais alvos da CPI da Covid-19, que será instalada no Senado na próxima terça-feira, 27, para investigação das supostas omissões do governo federal nos repasses da União aos Estados e municípios e por analisar justamente a crise do oxigênio no Manaus.

O presidente Jair Bolsonaro atacou a esquerda e fez elogios mais tímidos ao ex-ministro da Saúde. “Imagina essa pandemia com Haddad presidente da República? Estaríamos em um lockdown nacional. Graças a Deus, isso não aconteceu. Conseguimos, com a equipe que nós temos em Brasília, colaborar e muito que os danos dessas pandemias fossem diminuídos, em principal, pelo ministro da Saúde que tive até pouco tempo, o senhor Pazuello”, afirmou. O público chegou a gritar: “Pazuello governador”. Bolsonaro criticou aqueles que usam o vírus com fins políticos e pediu à Deus para que a pandemia logo nos deixe e que o Brasil possa voltar a sua normalidade. A agenda em Manaus incluiu ainda um encontro com líderes evangélicos e a distribuição simbólica de cestas básicas. É a primeira viagem do presidente ao Amazonas desde o colapso em janeiro. O Estado registrou 6.600 mortes no primeiro trimestre, um dos índices per capita mais elevados do mundo. Jair Bolsonaro recebeu o título de cidadão amazonense, concedido pela Assembleia Legislativa.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos