Bolsonaro questiona uso da máscara e prevê influência de isolamento no 2º turno

Presidente negou também que tenha comparado a Covid-19 a uma gripezinha

  • Por Jovem Pan
  • 27/11/2020 10h02
Isac Nóbrega/PRBolsonaro ainda levantou suspeita de uma possível motivação econômica por trás da vacina

Às vésperas do segundo turno das eleições municipais, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a necessidade da população escolher bem os seus representantes. Vários candidatos apoiados pelo presidente não foram eleitos e, na quinta-feira, 26, ele voltou a ressaltar que o eleitor precisa votar naquele candidato que pensa da mesma forma que ele no que diz respeito ao combate à Covid-19. E que o segundo turno é o momento de mostrar a insatisfação com medidas mais duras de isolamento que já estão sendo apontadas por vários prefeitos. O presidente negou também que tenha comparado a Covid-19 a uma gripezinha e voltou a criticar quem defende a obrigatoriedade da vacina contra a doença.

Bolsonaro ainda levantou suspeita de uma possível motivação econômica por trás da vacina — uma vez que, segundo ele, na verdade ninguém nem conhece o vírus direito. O presidente avisou que não pretende tomar o imunizante e se posicionou contra a ideia, por exemplo, de proibir quem não está vacinado de viajar ou tirar passaporte. Jair Bolsonaro, que tem se mostrado contra o “fique em casa” e que sempre defendeu que é preciso garantir liberdade para que a democracia se exercite agora levanta dúvidas com relação à utilização das máscaras. Ao lado do ministro da Educação, ele afirmou que já passou da hora de retomar as aulas no país — o que foi defendido também por Milton Ribeiro.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin