Bolsonaro: Suspensão de nova tabela do frete para caminhoneiros foi ‘antecipação de problemas’

  • Por Jovem Pan
  • 23/07/2019 07h10
EFE/Joédson AlvesNova tabela estava valendo desde sábado (20)

A nova tabela de frete rodoviário dos caminhões, publicada última quinta-feira (18), já está suspensa. As mudanças nas regras de cálculo para o valor mínimo do frete tiveram repercussão ruim entre os caminhoneiros. Para evitar uma nova greve da categoria, como a que paralisou o país em maio do ano passado, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), atendeu a um pedido do Ministério da Infraestrutura e aprovou, por unanimidade, o parecer do diretor Davi Barreto.

“Bem como evitar que haja prejuízos sociais e econômicos em virtude de paralisações, é prudente que seja suspensa cautelarmente a resolução 5849 até que seja resolvido o impasse com o setor”, disse. Com isso, voltam a valer as regras que vigoravam desde junho de 2018.

Em nota, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que, além da insatisfação em uma parcela grande dos agentes de transporte, foram constatadas “diferenças conceituais quanto ao valor do frete e o piso mínimo que podem repercutir na remuneração final dos caminhoneiros”.

Uma nova rodada de negociações entre governo e caminhoneiros vai ser aberta nesta quarta-feira. Segundo o presidente Jair Bolsonaro (PSL), o foco do ministério da Infraestrutura é se prevenir contra novas insatisfações. “O Tarcísio passou a ser o homem da negociação, e nós temos que, mais do que ter a capacidade de se antecipar problemas. Ele está muito bem informado, em especial por parte do GSI [Gabinete de Segurança Institucional] que é nosso órgão de informações, para tomarmos decisões adequadas.”

O reajuste da tabela, também um pedido deles, ainda deve acontecer, mas com um novo cálculo.

*Com informações do repórter Levy Guimarães