Braga Netto minimiza suspensão da Operação Carro-Pipa em áreas de seca

Ministro da Defesa participou de uma audiência pública na comissão de seguridade social e família da Câmara dos Deputados na última terça-feira e disse que o programa será retomado em breve; ele também evitou perguntas sobre CPI da Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2021 07h47 - Atualizado em 20/10/2021 12h19
José Dias/PRAtual ministro da Defesa, Braga Netto já foi o ministro chefe da Casa Civil

A audiência pública que ocorreu na comissão de seguridade social e família da Câmara dos Deputados na última terça-feira, 19, para discutir a para discutir a paralisação do programa emergencial de distribuição de água, conhecido como Operação Carro-Pipa, teve a participação do ministro da Defesa, Braga Neto. O programa distribuía água na região rural do semiárido do Nordeste brasileiro e parte do Sudeste há 23 anos, até ser suspenso no fim de setembro de 2021, durante um período de estiagem. Segundo o ministro, que participou da audiência por videochamada, a suspenção do programa foi necessária por falta de recursos financeiros. Ele prometeu retomar em breve a Operação Carro Pipa, que atende 2 milhões de pessoas. “Em 2021 havia uma previsão orçamentária de cerca de 670 bilhões para atender os municípios beneficiados pela Operação Carro Pipa. Diante do cenário de restrições, ao longo do ano, foi feito aporte de 500 milhões para o programa. Em função da prioridade dos benefícios, foram descentralizados cerca de mais 20 milhões, que são suficientes para garantir a entrega de água à população até o final de outubro e início de novembro”.

A pandemia da Covid-19 também tornou-se assunto na audiência. Segundo a oposição, quando Braga Neto era ministro da Casa Civil, ele teria participado de uma reunião que pretendia mudar a bula da cloroquina, para que o remédio passasse a ser indicado contra o novo coronavírus, mesmo não tendo eficácia cientificamente comprovada contra a infecção. O deputado Jorge Solla (PT-BA) quis tirar do ministro alguma fala sobre a CPI da Covid-19. “A CPI, infelizmente, mesmo com todos os elementos nas mãos, parece ter se intimidado com as ameaças que o senhor dirigiu àquele colegiado e decidiu por não convocar o senhor a prestar esclarecimentos, o que eu considero um grande erro, que, inclusive, lhe prejudica”, comentou Solla. Entretanto, Braga Netto ignorou o questionamento e encerrou sua participação na audiência falando sobre obras de infraestrutura. “Ela deverá reduzir cada vez mais essa necessidade da Operação do Carro Pipa e outras operações subsidiárias, que são apenas temporárias e não resolvem o problema definitivamente”. Braga Netto foi o segundo ministro convidado a participar de uma audiência na comissão de seguridade social e família da Câmara dos Deputados. O primeiro foi o ministro de Desenvolvimento Regional Rogério Marinho.

*Com informações do repórter Túlio Amâncio