Brasil precisa ‘se esforçar mais’ para reconquistar confiança, diz embaixador da UE

Essa seria a condição para o bloco fechar o acordo comercial com o Mercosul

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2020 07h30
Tiago Queiroz/Estadão ConteúdoO Inpe registrou, entre agosto de 2019 e julho de 2020, 11,8 km² de área afetada pelas queimadas na Amazônia

Brasil deve se esforçar para reconquistar confiança da União Europeia. Essa seria a condição para o bloco fechar o acordo comercial com o Mercosul. Na visão do embaixador da União Europeia no Brasil, Ignacio Ybáñez, o país deve se comprometer com a luta contra o desmatamento. Em uma transmissão ao vivo promovida pelo jornal Valor Econômico, o espanhol afirmou que o acordo está baseado em valores da democracia, direitos humanos e de sustentabilidade — e que o Brasil não estaria seguindo esses termos. Segundo Ignacio Ybánêz, se o desmatamento no Brasil não cair pelo menos 10%, o acordo não vai sair.

No entanto, o embaixador pondera que há vontade do governo federal de reprimir a atividade criminosa na Amazônia. Em relação à soberania brasileira, argumento usado pelo presidente Jair Bolsonaro ao defender a região, Ybáñez afirma que cobrar ações contra o desmatamento é justamente respeitar a autoridade do Brasil. “Essa soberania se exerce fazendo o que as leis brasileiras, como o Código Florestal, sejam aplicadas. E os grupos e empresas que não respeitam essas regras tenham que assumir o peso da lei”, disse. Através dos dados do programa de monitoramento de florestas, o Inpe registrou, entre agosto de 2019 e julho de 2020, 11,8 quilômetros quadrados de área afetada pelas queimadas na Amazônia — uma alta de 9,5% em um ano e o maior valor desde 2008.

*Com informações do repórter Vinícius Nunes