Calota polar no Ártico atinge segundo menor nível em mais de 40 anos, diz universidade

Segundo os pesquisadores, a cada temporada uma porção maior da calota derrete e não se recupera

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2020 06h38 - Atualizado em 22/09/2020 08h05
Ricardo Jana/Cortesia do Instituto Antártico Chileno (INACH)A cada ano, uma parte dessa camada derrete no verão para se formar novamente no inverno

A calota polar do Ártico atingiu a segunda menor área de superfície desde que o levantamento começou a ser feito, há 42 anos. A conclusão foi divulgada por cientistas da Universidade de Colorado Boulder nesta segunda-feira, 21. Com o fim do verão no hemisfério norte, a área mínima medida pelo Centro Nacional de Neve e Gelo da instituição norte-americana foi de 3,74 milhões de quilômetros quadrados. Esse número só foi menor em 2012, quando uma tempestade atingiu a região, alterando o ritmo do degelo.

A cada ano, uma parte dessa camada derrete no verão para se formar novamente no inverno. No entanto, segundo os pesquisadores, a cada temporada uma porção maior da calota derrete e não se recupera. De acordo com os cientistas, a causa mais provável desse processo é o aquecimento global. Em duas semanas, líderes mundiais debaterão o clima e biodiversidade do planeta em uma assembleia da Organização das Nações Unidas, onde as consequências da redução da calota polar do Ártico serão debatidas.

*Com informações do repórter Leonardo Martins