Carla Zambelli diz que vice-líderes trocados pelo governo ‘continuam sendo soldados de Bolsonaro’

Deputada federal do PSL e outros nove parlamentares foram tirados da vice-liderança do governo na Câmara dos Deputados; membros do Centrão foram nomeados para os cargos

  • Por Jovem Pan
  • 30/09/2020 12h27
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoCarla Zambelli é deputada federal pelo PSL-SP

Após a troca de dez vice-líderes do governo na Câmara dos Deputados, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã – 2ª edição que os parlamentares “continuam sendo soldados do presidente Jair Bolsonaro”. As novas nomeações foram publicadas nesta quarta-feira, 30, no Diário Oficial da União e substitui os deputados da ala bolsonarista por membros do chamado Centrão. Segundo Zambelli, a troca “já era esperada quando o deputado Ricardo Barros anunciou a chegada dele e avisou aos vice-líderes que a premissa de indicação mudaria”.

Para ela, no entanto, nada muda no relacionamento com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e diz quer achado a decisão “sábia”. “Essa decisão foi tomada muito sabiamente pelo presidente e ele nos avisou. Ele tem percebido que é importante a participação do legislativo. É importante essa conversa com outros partidos. O presidente não tem como sancionar sem a autorização do Congresso”, disse. A intenção da troca, segundo Zambelli, é para conseguir aprovação “de diversos projetos e reformas, além da pauta conservadora”. A deputada do PSL diz ainda que a reunião para anunciar a troca dos vice-líderes “foi muito emocionante, fizemos uma oração juntos e continuaremos trabalhando pelo País”. Agora, a participação de Zambelli e dos demais ex-vice-líderes ficaram concentrada nas redes sociais e “na conversa com as ruas, os movimentos de direita e a base para que a gente continua sintonizado com o povo”. Ela também afirmou que cuidará de sua defesa em dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). “Infelizmente o nosso trabalho de deputado fica prejudicado quando a Justiça fica pegando no nosso pé”, declarou.

Com a decisão da troca foram nomeados os deputados federais Luiz Lima (PSL-RJ), Giovani Cherini (PL-RS), Joaquim Passarinho (PSD-PA), Alberto Neto (Republicanos-AM), Greyce Elias (Avante-MG), Gustinho Ribeiro (Solidariedade-SE), Marreca Filho (Patriota-MA), Carla Dickson (PROS-RN), Paulo Azi (DEM-BA) e Lucio Mosquini (MDB-RO). Os parlamentares substituíram Aline Sleutjes (PSL-PR), Carla Zambelli (PSL-SP), Carlos Jordy (PSL-RJ), Caroline de Toni (PSL-SC), Coronel Armando (PSL-SC), Diego Garcia (Podemos-PR), Eros Biondini (PROS-MG) e Guilherme Derrite (PP-SP). Foram reconduzidos ao cargo os deputados Aluisio Mendes (PSC-MA), Evair Vieira de Melo (PP-ES) e José Medeiros (Podemos-MT).