Casas de alto padrão se tornam alvo preferencial de criminosos em São Paulo

Jardim Europa, um dos metros quadrados mais caros da capital, tem sido alvo de crimes cada vez mais frequentes

  • Por Jovem Pan
  • 11/11/2021 10h50
Rodrigo Ramon/JPCasas de alto padrão do Jardim Europa tornaram-se alvo de criminosos

Quatro bandidos assaltaram uma residência na rua Engenheiro Guimarães Valadão, no bairro Jardim Europa, um dos metros quadrados mais caros da cidade de São Paulo. O crime, que se tornou comum na região, ocorreu no último sábado, 6, às 5 horas da tarde, em plena luz do dia. Os ladrões agem aguardam em frente a alguma casa a movimentação por 30 minutos. Quando percebem que não há ninguém, eles forçam a porta da garagem para poder entrar. O bando passou cerca de uma hora dentro da residência e foi embora sem chamar atenção. A segurança que faz a ronda sequer notou o furto. O dono da casa invadida, o empresário Aloísio Cristian, diz que essa foi a gota d’água e que pretende se mudar com os filhos para outro bairro da capital. “Foi sábado, graças a Deus eu não estava aqui, eu estava no interior de São Paulo, e eu só vi no domingo, quando eu cheguei do interior, às quatro da tarde. Chamei a segurança local, que são os carros que dão cobertura na entrada e na saída de casa, e eu vi que o portão estava escancarado. Graças a Deus foi só um susto. Eu tenho visto vários assaltos aqui na região, parece que piorou de uns dois meses para cá, piorou muito. E se vocês quiserem vir aqui na semana que vem, vocês não vão me ver aqui, vão ver um caminhão de mudança. Chega de ficar correndo risco. Eu tenho dois filhos de dez anos e não quero mais passar por isso”, afirmou o empresário. O crime que aconteceu em uma das casas no bairro nobre do Cidade Jardim, em São Paulo, se caracteriza como furto. Se enquadra no artigo 155 do código penal. A pena varia de um a quatro anos de prisão.

Outro morador da rua Engenheiro Guimarães Valadão, no Jardim Europa, o economista Luiz Marques afirma que não se sente mais seguro quando viaja aos finais de semana. “A gente tem um problema nesse bairro porque, realmente, existe tem muito assalto aqui. Essa semana, a gente teve um assalto nessa rua, teve um assalto na rua de trás também. A gente tem aqui um esquema de segurança que são os carro da empresa que a gente contrata, e infelizmente não é sempre que funciona, funciona mais quando a gente está aqui, quando a gente está viajando, eles não vem até a sua casa, porque você tem que ligar para eles poderem acompanhar a entrada e a saída”, conta. No último mês foram registrados dois assaltos na mesma semana no bairro Cidade Jardim. Em um deles, usaram o mesmo modus operandi para invadir a residência. Os moradores dizem que estão assustados e clamam por mais atenção de segurança patrimonial, cuja mensalidade custa em média R$ 3 mil por propriedade.

*Com informações do repórter Victor Moraes