Castro ameaça aumentar impostos sobre a Petrobras se preços não abaixarem no RJ

Governo espera que o valor do combustível caia cerca de R$ 1,20 nas bombas do Estado

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2022 12h54
Reprodução / Twitter @GovRJ Cláudio Castro, governador do Rio, dá entrevista coletiva usando uma máscara escura Cláudio Castro durante entrevista coletiva do governo do Estado do Rio de Janeiro

Depois do Governo do Estado do Rio de Janeiro anunciar a diminuição do ICMS na gasolina no Estado para 18%, o executivo vai começar a fiscalizar os postos para saber se a redução vai chegar na população. Em coletiva de imprensa, o governador Cláudio Castro subiu o tom ao anunciar a medida. “Se a Petrobras continuar fazendo aumentos eu irei aumentar a tributação em cima da empresa. Porque a população não pode ficar sofrendo enquanto a empresa tem lucro recorde e distribui esse lucro aos seus acionistas. A gente também está reduzindo para telecomunicações, energia e transporte. A cada R$ 100 pagos pela população, vai ter um desconto de R$ 14 nas contas”, declarou.

De acordo com Castro, o impacto na arrecadação do Estado com a redução do imposto é da ordem de R$ 4 bilhões só no ano de 2022. O governo espera que o preço do combustível caia cerca de R$ 1,20 nas bombas. O ICMS do Estado estava entre os mais caros do Brasil: 34% para a gasolina e 32% para o etanol. A diminuição atendeu à lei aprovada pelo Governo Federal que entende que combustíveis, energia elétrica e telecomunicações são itens considerados essenciais.

A perspectiva é iniciar as fiscalizações nos postos de todo o território já na próxima segunda-feira, 4. Irão às ruas representantes do Procon e também da Secretaria de Defesa do Consumidor. O governador foi bem claro que a redução do ICMS não é para ficar no bolso dos empresários dos postos ou das distribuidoras. Quem não reduzir o preço vai ser punido e multado, segundo o mandatário. Castro chegou a fazer um apelo para que a própria população comece a registrar os preços atuais para poder comparar com o preço com ICMS reduzido.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga